sábado, 24 de dezembro de 2011

Update de Natal...

É galera, este é meu primeiro Natal como blogueiro e não sei exatamente como funciona todas as atualizações de postagens, comentários e etc... Mas gostaria de deixar aqui todo o meu agradecimento por acompanharem cada uma de minhas postagens, por cada comentário recebido, cada mensagem de apoio, email, pelas conversas... Vocês são demais, OBRIGADO!!!

Tem uma música que eu adoro e tem uma letra incrível, acho que combina bem com a época e ilustra bem o que estou sentindo neste momento... Vou deixar que vocês mesmos tirem suas conclusões.

A versão original é do The Beatles (banda que gosto demais), mas esta versão mais lenta do Ozzy Osbourne, ficou perfeita!

Um Feliz Natal a todos! Muita saúde e paz... o resto, a gente corre atrás!
Eduardo Paiva.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Então é Natal...

Toda esta sensação de bem estar que sinto no mês de Dezembro, já vem de berço.
Não sei ao certo, se as pessoas estão bem com si mesmas, ou se é apenas encantamento de minha parte, mas sempre sinto um clima de bem estar, coisas que geralmente não ganham tanto minha atenção ao longo do ano, não passam despercebidas, cada pequeno detalhe ganha destaque ao meu ver.
Sinceramente não ligo a mínima para presentes ou lembrancinhas, nada do que é material ganha muito destaque, mas só de apenas receber uma mensagem sequer no celular de "Feliz Natal", um abraço de um amigo, um email particular (não correntes) eu ganho o meu dia!

Eu adoro as festas de fim de ano!
Como já havia citado anteriormente, minha família é muito grande e tudo é motivo para festejar e celebrar, e as festas de fim de ano sempre são celebradas com muito entusiasmo por todos aqui. Desde que me entendo por gente, nas muitas lembranças em fotos, filmagens e na memória, sempre nos divertimos muito com muita festa, bebida, comida, presentes e risos sem fim, e apesar das poucas pessoas na qual eu não me dou tão bem na família e o contato é mínimo, o respeito mútuo prevalece! Ainda bem.

Hoje, ao longo dos meus 27 anos, percebo que apesar de todo o encantamento que sinto nesta época do ano, as festas de família em sí, tem deixado um pouco a desejar. Pessoas se vão, uns para longe, outros para sempre, pessoas chegam, uns passam tão rápidos que quando você se dá conta, já são substituídas, novos integrantes da família chegam, mas nada é como antes. Não estou reclamando ou dizendo que o encantamento acabou, mas que aquela coisa que eu sempre esperava ansiosamente, se esvai.
Não adianta, o Natal eu sempre passo com minha família! Alguns amigos meus mais chegados sempre aparecem para almoçar comigo, mas nunca deixo minha família. Até dou uma passada na casa de uns e outros que moram por perto, mas não largo minha família. Até parece um ritual.
Quanto a virada de ano, a mesma coisa sempre se repete, mas nunca me senti na obrigação de passar com os meus familiares, apesar de sempre estarmos viajando juntos. Sempre acabo ficando com os amigos e dou uma passada para ver como os meus familiares estão ou acabo ficando em casa sozinho porque em datas próximas sempre estou trabalhando.

Mudando de certa forma um pouco de assunto, este fim de ano, como os anos anteriores, prometia ser um ano em que eu iria trabalhar muito em datas próximas a virada do ano. Eu estava enganado...
Uma conversa com meus colegas de trabalho, onde cada um fazia sua análise pessoal de como foi seu ano, acabei fazendo o seguinte comentário: "- Este ano, foi um dos melhores ano da qual eu consigo me lembrar já ter passado! Viajei muito, conquistei coisas que sempre almejei, ví shows, fui para as melhores baladas que alguém pode ir, conheci muita gente bacana e nada de muito grave aconteceu a minha família! Para fechar o ano com chave de ouro, só faltava eu passar a virada do ano em Copacabana com meus amigos! Saudades dos meus amigos cariocas, não os vejo há tempos!"

Todos concordaram com meus argumentos e para minha surpresa, logo que cheguei pela manhã em casa, eu liguei o computador e logo me deparei com uma mensagem de um amigo que mora em SP: "- Amigo! O que irá fazer na virada do ano? Eu e mais 3 amigos queremos ir ao RJ e estamos correndo para arrumar lugar para ficar, e encontramos um lugar para 5 pessoas. Você quer ir conosco? Tem de dar a resposta pra ontem, pois temos de reservar com urgência!"
Que ironia do destino! Bem, nem preciso dizer que aceitei no mesmo instante! Uma oportunidade única de fechar o ano com chave de ouro! Realizar um desejo antigo de passar a virada no RJ, rever os amigos que por lá deixei e no caso, uma possível (excelente) despedida do Brasil.
Conseguimos um hostel que fica na Lapa! Chegaremos por la no dia 28/12 e ainda não sabemos realmente qual será a data que retornaremos. No momento, será no dia 02/01 com chances de retornarmos no dia  04 ou 05/01.

Mas quanto a vocês? Como é o Natal de cada um? Já planejaram o que farão no réveillon?
Bem, estou extremamente empolgado para o que me espera neste fim de ano, com muita esperança de uma melhora de vida para o ano que está por chegar. Aliás...
Apesar de já ter ido várias vezes ao RJ, gostaria de pedir a vocês, leitores, algumas dicas de lugares para se ir naquela região como baladas e barzinhos, algumas dicas bacanas de lugares para se divertir por ali. Conheço um pouco daquela noite boêmia da Lapa, mas gostaria de saber alguns lugares específicos para ir com os amigos.

Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

-Fala Deus! Whatsapp?...

Muita, mas muita coisa aconteceu comigo neste ano, mas antes de falar sobre o fim do ano e tudo o que ele me proporcionou, gostaria de fazer uma análise de alguns anos atrás e meus pensamentos de hoje.

De uns 4 anos para cá, o meu eu interior viveu em angústia! Eu sofri demais com a aceitação de minha sexualidade, chorei demais sozinho, não conversava sobre nem com os meus melhores amigos (que hoje em dia confio minha vida a eles), escrevia cartas de desabafo no meio da madrugada e depois disse as queimava, como forma simbólica de que aquilo tudo ia se queimar junto. Tenho algo a confessar e que não me orgulho nem um pouco: Eu me afastei de Deus.
Em quase todas as cartas que escrevia, eram todas um desabafo a ele, o questionava o porque dos "porquês", implorava para que tudo aquilo que eu sentia, pudesse se esvaecer no primeiro momento em que eu acordasse pela manhã, mas isso nunca aconteceu. Já fui de frequentar a missa no dia de domingo, mas hoje não mais, e o grande motivo disso é toda a frustração que senti durante o meu processo.

Graças a Deus, neste período de tempo, não houveram grandes problemas que pudesse abalar minha família, então, pouco rezei, fosse para pedir ou agradecer algo. A única lembrança que tenho de que me peguei rezando, foi quando minha sobrinha precisou passar por uma cirurgia no olho esquerdo, ao seus 5 meses de idade, para a retirada de uma catarata congênita. Águas passadas.

Esta semana, em meio a uma conversa através de email com um leitor amigo, tive um momento de reflexão.
Ele me contava como são suas comemorações de fim de ano, e através dele, me peguei pensando em Deus e tudo o que passei até chegar neste mês de Dezembro, de 2011.
Este 2011 foi um ano incrível, passei por muita coisa boa, conquistei muita coisa que sempre almejei, me diverti muito, conheci pessoas, fiz grandes amizades, quebrei minhas barreiras e aprendi a voar! Agora, não pretendo colocar os pés no chão tão cedo! Não tenho a mínima vergonha de confessar também que meu ano também, foi um ano de futilidades! Não me faltaram conquistas de bens materiais, viajei muito, fui para baladas, me embebedei, me dei ao luxo algumas vezes de poder sair sem me preocupar com o quanto tinha na carteira ou a que horas/quando chegaria em casa. Me orgulho de tudo, afinal, isso tudo não veio de graça, mas sim com o suor de meu trabalho!

Esta semana, senti a grande necessidade de ir a uma igreja e rezar, me aproximar de Deus novamente e apesar de que ele sabe exatamente o que se passa na minha cabeça, preciso voltar a desabafar com ele, fazer sair tudo de minha boca, pedir perdão pelos meus pecados e agradece-lo pelas oportunidades conquistadas e as que estão por surgir. Não quero pedir nada para mim, apenas saúde e paz, para todos aqueles que estão a minha volta, aqueles que me querem bem, que fazem parte de meu convívio, pessoal ou virtual, familiares e até mesmo aqueles que não gostam de mim. Logo assim que esta correria toda acabar, meu tempo para Deus já esta reservado, além de minhas orações antes de dormir.

2012 está chegando e com ele, muita coisa está para acontecer!
Se em 2011 meu ano foi formidável, agora que estou em paz comigo mesmo e com Deus (que nunca me abandonou), meu 2012 promete! Oh se promete!

Grande abraço a todos, fiquem com Deus!
Eduardo Paiva.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O relógio se esqueceu de mim...

É galera, ontem fez exatamente 1 mês que eu estou com minha vida de pernas para o ar! O motivo? Profissional!
Quando vai chegando o fim de ano, as coisas no trabalho tendem a se tornar uma loucura, uma correria sem tamanho e fico sem tempo nem ai menos para respirar, houveram várias trocas de turno, cerca de 2 vezes por semana, eu entrava mais cedo para trabalhar e muitas vezes saía mais tarde.
Enfim, esta é minha desculpa para este repentino desaparecimento. Senti muita falta de interagir aqui com vocês, de ler comentários e emails, ler os posts de outros blogueiros e uma boa conversa no MSN, mas vamos as poucas novidades que aconteceram neste período...


Eu tenho mantido bastante contato com o Gostoso do Facebook. Saímos algumas outras vezes, mas nossos horários não batem, tenho trabalhado vários fins de semana e ele trabalha no comércio. Como o fim de ano está chegando, seus horários estão mais curtos, nos impossibilitando de nos vermos com maior frequência.


Quanto ao cara da cidade vizinha, não nos encontramos mais. Conversamos algumas poucas vezes depois do último encontro, onde mais tarde acabei saindo com o Gostoso do Facebook. Ele manteve-se na defensiva por muito tempo, o chamei para sair e fazermos outra coisa além de ficarmos nos pegando dentro do carro na esquina de sua casa, mas ele não quis. O contato foi ficando cada vez mais escasso e hoje, quando nos encontramos online, nem nos cumprimentamos, ele acabou sendo mais um qualquer na minha lista de contatos do MSN/Facebook.


Meu amigo da fábrica que retirou os pinos do braço, acabou tendo alguns problemas pessoais e não foi na balada comigo. Acabei me encontrando com meus amigos de São Paulo, fomos ao Apartamento de um deles e fizemos um esquenta e mais tarde fomos todos para a The Week. A balada não estava tão boa quanto eu esperava, mas valeu por estarmos todos juntos, nos divertindo. Conheci algumas pessoas, mas não fiquei com ninguém, apenas dancei e bebi muita tequila (tem sido minha perdição em baladas, rs)!


Meu chefe tem me enrolado muito quando o indago sobre o assunto de me mandar embora. Ele diz que está fazendo o que pode, que ainda não tem certeza se será possível, mas pelo o que eu tenho percebido, ele está se preparando para me mandar embora, já até contratou uma pessoa para me substituir, porém esta treinando-o em seu escritório. O comentário de todos os turnos é forte e parece que realmente desta vez, vai acontecer, mas quando, ninguém sabe! Sinceramente espero que em breve.

A vida nos presenteia com grandes surpresas também, não é mesmo?
Uma mulher casada que trabalha no 2º turno da empresa em que trabalho, tem conversado muito comigo e tenho achado esquisito o rumo das conversas e finalmente descobri o motivo.
Ela me convidou para ir com ela e seu marido a uma balada em SP chamada CODE CLUB INTERNATINAL. Já ouviram falar deste lugar? É uma casa de Swing! Imagina, eu, Eduardo Paiva em uma casa de Swing!
Confesso que estou atentado a ir e conferir o local, mas gostaria de ir na sexta-feira onde a noite é GLS. Enfim, um caso a se pensar...

Bem, vou terminando por aqui. Queria deixar aqui minhas sinceras desculpas pelo repentino desaparecimento e deixar registrado aqui que durante o mês de Dezembro, ainda estarei muito ocupado aqui, mas não pretendo parar de postar. Ainda quero fazer pelo menos mais 2 posts, então, aguardem!

Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

domingo, 30 de outubro de 2011

Uma grande amizade...

Trabalhar em uma fábrica de grande porte, não é nada fácil!
Digo isso, porque o nível de cultura/inteligência/educação das pessoas que lá trabalham é extremamente baixo! É claro, isso não se aplica a todas as pessoas, mas conheço boas pessoas lá, o que é extremamente raro. Existem muitas pessoas boas no que fazem lá, não há como negar, mas esta inteligência que se sobressai, se aplica somente no trabalho, mas é só bater um papo de 5 minutos que você acaba notando a real pessoa. Muitos ali são cobras e se preciso, usam o companheiro como degrau para subir de cargo.
De todas as pessoas que conheci por lá, um cara que trabalha na minha área, me chamou muito a atenção devido a suas conversas, sua inteligência e seu jeito espontâneo de fazer amizades. No começo não gostei muito dele, devido a seu jeito hiperativo de ser e por ser uma pessoa EXTREMAMENTE sincera. Meu conceito mudou muito, depois que nos aproximamos e pude notar o quão especial ele é. Pai de família, 2 filhos e 1 esposa linda e muito simpática!

Ele por problemas pessoais, viu em mim a confiança em poder desabafar seus problemas, passávamos horas conversando, íamos todos os sábados de carro até o centro da cidade, beber cerveja na hora da janta da fábrica, nas horas extras. Eu sempre com meu jeito reservado de ser, ouvia sempre a ele, ajudava e o aconselhava da forma que eu julgava ser a melhor e a mais correta.
Sempre achei que ele tinha uma desconfiança em mim, sobre a minha sexualidade devido as nossas conversas e porque ele é um cara muito perspicaz, e sabe notar muito bem quando você está bem ou não, se quer dizer algo ou não, se está sendo sincero ou não.
Semana passada, ele me avisou que iria passar por uma cirurgia no braço direito, onde ele iria retirar 3 dos 21 parafusos que ele tem no braço, pois estavam incomodando e atrapalhando seu rendimento. E quando me disse isso, já me intimou:

"-Eduardo, minha recuperação será rápida, mas este ano, não retornarei ao trabalho. Você logo irá embora e será muito difícil de nos vermos pessoalmente. Como você sempre fala muito sobre as baladas de São Paulo, decidi que vamos você, minha esposa e eu, curtir uma balada por lá, tudo bem? Aliás, isso não é um pedido, é uma intimação!"

Meu Deus! Todas as baladas que fui em SP, são baladas gay, como fugir? Mas devido a insistência dele, tive de aceitar e não pude fugir do compromisso. Aceitei e deixei meio que marcado para a próxima folga após sua cirurgia.
Pensei muito sobre o assunto em todos estes dias, sobre a confiança dele em mim, em tudo o que passei e o que ele passou lá na fábrica, então foi com muita confiança que decidi contar a ele que eu sou gay!

Nesta quarta-feira, fomos jantar no bar da esquina da fábrica, tomar uma cerveja e rir um pouco. Não sabia como entrar no assunto, não sabia como ele iria reagir e o medo e o pavor começou a tomar conta de mim. Ele percebeu meu desconforto e perguntava se eu estava bem, se queria dizer algo, mas eu neguei e puxava outro assunto. Quando estávamos voltando para a fábrica, criei coragem e fiz a seguinte pergunta a ele:

"Cara, por acaso, existe alguma coisa, alguma pergunta que você sempre quis fazer a mim, mas nunca fez ou nunca teve coragem?" Ele parou de andar, me olhou e disse que não, que confiava plenamente em mim e tudo que ele sempre quis perguntar, o fazia sem questionamentos.
Comecei a pescar suas ideias até que ele disse:

"Edu, gosto de você, é um cara único e não conheço ninguém igual a você, é um cara incrível, por suas ideias, inteligência e gostei muito da forma que conseguiu subir de cargo, é um cara que merece muito na vida! Já pensei várias vezes em falar com você sobre, mas depois cheguei a conclusão de que independente da sua resposta, a amizade que temos, o que sinto e penso sobre você não vai mudar me nada! É uma grande pessoa e pronto!" Comecei a rir muito sem graça, e então ele perguntou:

"Edu, você é gay? Te vejo sempre falar que vai nas baladas, que sempre fica com as pessoas e etc. Sinceramente não duvido nada, mas é que tem algo em você que é diferente de tudo o que já conheci. Até conheço algumas pessoas que tem certos atributos assim, mas você é único!" Então, eu olhei pra ele e respondi:

"Sim cara, sou gay! Sempre soube que você sabia ou desconfiava, por isso acabei perguntando!" Acabei rindo meio sem graça. Então ele veio até mim, me deu um abraço bem forte (sempre nos cumprimentamos com um abraço, independente de onde estamos), e disse olhando para mim:

"Cara, de uma coisa você pode ter certeza, nossa amizade nunca vai mudar devido a isso. Para mim, é apenas um detalhe e o que importa são todas as qualidades e até os defeitos que você tem! Já disse, você é especial, um cara de bom caráter! Terei muita sorte se meus filhos tiverem ao menos metade do seu caráter!" Sério, nesta hora me segurei para não chorar!

Voltamos a fábrica conversando um pouco mais, contando sobre minha adolescencia, as perturbações que sempre tive, meus comportamentos, as primeiras vezes que fiquei com um cara e tudo que já fiz depois que me aceitei. Ele me disse que nunca desconfiou devido as minhas atitudes na fábrica ou quanto a minha masculinidade, mas que sentia algo de diferente em mim e que este ano, via que eu estava muito melhor que nos anos anteriores (este ano, foi o ano em que resolvi desencanar da vida e curtir o que ela tem de melhor a me oferecer). Ele acabou ligando para a esposa e contando que iríamos a uma balada gay em SP e ela ficou toda animada!

Tirei um peso das costas! Fiquei emocionado com as palavras de meu amigo e sua reação quanto a minha revelação. Nossa amizade só cresceu e minha admiração quanto a sua pessoa aumentou!
Ele já operou o braço e esta tudo em ordem. Marcamos a balada para o dia 14/11 na The Week.

Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

Neste Domingo, estarei participando de uma entrevista para o blog Forever Young do Raphael Martins e gostaria de pedir a audiência de vocês por lá!

domingo, 23 de outubro de 2011

O Gostoso do Facebook...

Eu estava ansioso, nunca havia feito algo do tipo e como da última vez o mesmo cara me deu um bolo, estava apreensivo! Olhava pelo retrovisores, tentava notar qualquer movimento até que alguém vinha a frente do carro. Apesar de estar a noite, mas notei que era ele pelo porte físico. Então ele veio, abriu a porta e disse:

"Fala Eduardo, posso entrar?"
"Fique a vontade, cara!"

Nos cumprimentamos com um aperto de mão e comecei a dirigir em direção ao centro, mas sem saber exatamente o destino. Começamos a nos conhecer melhor dentro do carro, ele foi extremamente simpático e não parecia nada com aquelas pessoas desesperadas por sexo, afobadas querendo logo chegar aos finalmentes.
Ele me contou sobre sua noite (já era 02:40 da madrugada), sobre seu trabalho e estudos. Conversa vai e vem, achei um motel bacana próximo a via dutra, então entrei no motel e tivemos de esperar na garagem do quarto por uns 10 minutos para que pudesse ser liberado. Conversamos mais um pouco, mas do lado de fora do carro, ele me pegou pela mão e ficamos abraçados ao lado do carro conversando um pouco esperando.
Eu estava um pouco envergonhado ainda, tudo nesta situação era muito novo para mim, eu estava tremendo um pouco, minha cabeça estava a mil e ele notou que eu estava desconfortável, mas gentilmente conversava comigo para tranquilizar. Notei então que ele estava já um pouco alcoolizado, e seus olhos estavam bem vermelhos como se estivesse super cansado e com sono.

A liberação do quarto veio, entramos e nos ajeitamos por lá. Liguei para a recepção e pedi 4 garrafas de cerveja para bebermos e talvez eu relaxar um pouco. Tomei uma ducha rápida e quando voltei, as cervejas já estavam lá. Começamos a beber e conversar, comecei a me soltar mais e a ficar mais tranquilo, ele me fez sentir muito bem, começamos a nos beijar e a relaxar mais. Ele foi tomar uma ducha rápida e fiquei lá bebendo e pensando em toda esta situação.
Ele voltou, conversamos mais e contei a ele sobre toda a minha situação, e sobre tudo o que estava acontecendo e que aquela era a primeira vez que havia aceitado sair com alguém que nunca tinha visto.
Então resolvi perguntar:

"Cara, eu não sou bonito, não faço o tipo gostoso com corpão musculoso e etc... O que fez você se interessar por mim e querer sair comigo?"

"Eduardo, não é porque você acha que é assim que realmente você não seja ou as pessoas não achem você bonito! Se estou aqui, é porque gostei de você, me atraiu e quis conhecer você melhor! Não se menospreze, dê o devido valor a você mesmo, porque isso acaba se refletindo em você!"

Meu queixo foi ao chão! Nunca alguém tinha falado algo do tipo para mim!
Ele retirou a toalha ficando somente de cueca, encaixou suas pernas em volta de mim sentando em meu colo na cama e me beijou. Ficamos nisso por uns 30 minutos.
Ele me fez sentir muito bem, eu estava confortável, entrei no clima e nos entregamos ao que já estava certo de acontecer.

Depois do sexo, fomos tomar um banho e relaxar mais um pouco. Ficamos ali conversando por um certo tempo, mas o sono nos pegou, então nos deitamos e fomos dormir (já era 6:30). Quando foi 10:00, minha mãe ligou no meu celular querendo saber onde eu estava e que precisava usar o carro.
Disse que estava em uma chácara com amigos e acabei ficando bêbado, sendo assim, não poderia dirigir e o sermão que ela estava preparando para me dar, foi deixado pra lá.
Acordei o cara, trocamos de roupa e saímos do motel, seguindo em direção para sua casa. Aprendi facilmente onde mora porque fica muito próximo da casa do cara da cidade vizinha. Antes de sair do carro, ele me pediu desculpas pois estava cansado e alcoolizado e prometeu que da próxima vez, será bem melhor!

Nos despedimos e voltei para casa para dormir um pouco mais. Estava exausto, cansado e precisava urgente de minha cama. Quando terminei meu banho e estava pronto para deitar, meu pai entra no quarto e me lembra que tinha um almoço de aniversário de minha avó. Troquei de roupa novamente e fui almoçar com minha família.
A família do meu pai é extremamente diferente da família de minha mãe! Eles não se dão tão bem entre eles mesmos, sempre tem umas fofocas pesadas rolando e quem não vai, acaba sempre sendo alvo. Odeio tudo isso, mas lá estava eu fazendo o papel de bom neto e almoçando com minha avó! Terminado o almoço, pedi ao meu pai para me trazer de volta para casa, pois estava claro que eu não estava bem e precisava urgentemente de uma cama.

Fui deitar já era 17:40 e só de botar a cabeça no travesseiro, apaguei!
Acordei somente a noite com uma ligação de um colega do vôlei me chamando para ir em sua casa comer pizza e rir. Chegando lá, estava outro colega nosso da época do colegial, então ficamos lá rindo e comentando sobre homens, rs! Ficamos até de madrugada rindo em frente a sua casa até que cada um pegou seu rumo e voltou para sua casa.

Depois deste dia, eu o o Gostoso do Facebook nos falamos algumas vezes, mas por divergências de horários, não pudemos conversar muito bem. Tive de mudar de horário no trabalho por algumas semanas, trabalhando no 2º turno, sendo assim, nunca o encontrava online. Ainda não há nada marcado, mas espero poder marcar logo de sair com ele, não somente para o sexo, mas para poder conhecê-lo melhor, pois é um cara muito bacana!

Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

domingo, 16 de outubro de 2011

Rock in Rio, EU FUI... [ Final ]

Eram de 3 a 5 passos e 15 minutos parados, mais 4 passos e outros 10 minutos parados.
Sei que nesta brincadeira, fiquei cerca de 2 horas para entrar na cidade do rock, mas valeu muito a pena.
Todos estavam extremamente ansiosos pelo show da banda System of a Down e Guns 'n Roses. Eu, como já havia dito, estava esperando pelo System e durante o show do Guns, iria para a pista eletrônica.
O dia não estava frio e muito menos aparentava chuva, apesar do dia nublado, então fui apresentar toda a cidade do rock para minha amiga, e marcar alguns pontos de referência, caso a gente se perdesse, já que o sinal de celular lá, estava impossível e o Wifi disponibilizado lá, estava péssimo!
Já se aproximava das 19 horas, então minha amiga e eu, fomos tentar achar um lugar próximo ao palco. Conseguimos um lugar muito próximo, que era de frente para o telão do lado esquerdo do palco.

Começa as atividades no palco mundo com a banda Detonautas abrindo a noite. Conheço muito poucas músicas desta banda, não foi um show em que cantei, mas me impressionei com a energia do vocalista. Animou e muito a todos!
Logo em seguida, começou o show da Pitty, banda que gosto muito e sempre quis assistir. Infelizmente, não foi um bom show. Pitty é muito robótica no palco e não interage muito. Chega, canta, fala meia dúzia de palavrões, canta novamente e acaba o show. Mas adorei as seleção de músicas escolhidas, apesar dos pesares, gostei!

Um pequeno intervalo para a montagem do palco para o show da banda Evanescence e 20 minutos depois, Amy Lee, estava no palco cantando. Linda e canta muito bem! Também adoro esta banda, mas definitivamente não foi um bom show. Amy Lee estava para lançar um novo album e al invés de cantar os clássicos dos clássicos, ela esqueceu que ali era um festival de música e fez do Rock in Rio, uma turnê da banda, cantando muitas músicas novas e desanimando a todos que ali estavam.
Acabando o show, minha amiga e eu resolvemos sair daquele lugar, pois a próxima banda, seria o System Of a Down, e os loucos já estavam a postos em frente ao palco. Mesmo de longe, pude ver e ouvir claramente a tudo! O show da banda foi incrível e a seleção de músicas foram perfeitas!
Emocionante você estar em meio a tanta gente, uma banda que você goste e todos em volta cantando todos juntos! Foi simplesmente incrível!

Acabado o show, minha amiga queria assitir ao Guns 'n Roses e eu por outro lado, queria curtir a tenda eletrônica. Marcamos um ponto de referência e lá fui eu curtir.
Cheguei, comprei uma cerveja e fiquei dançando mais para o fundo. Um cara chegou do meu lado e começou a dançar. Muito bonito, e a toda hora ficava olhando. Mas como não sou de ficar tomando atitudes, ainda mais em um lugar onde o show principal era de Rock, preferi esperar por uma atitude dele.
Ficamos ali naquela por uns 30 minutos e ele pareceu ter se cansado de esperar, então foi para o meio da pista e eu continuei a beber e a dançar de lado. Musicas excelente, a galera pirando com o som, então resolvi curtir o som do meio da pista. Alguns minutos depois, olho para o lado e quem eu vejo? O mesmo cara!

Fiquei ali na minha curtindo o som como se nada estivesse acontecendo, então comecei a sentir que ele esbarrava em mim a toda hora e me olhava, então, quando decidi tomar a atitude de me virar e dançar de frente pra ele, começou a chover! Enquanto todos saiam correndo para se esconder, fui andando até o bar.
Parei, guardei o celular dentro da mochila e fiquei ali, abrigado dentro da area do bar esperando a chuva passar.
Adivinha quem estava do meu lado novamente? Aquele mesmo cara.
Fiquei ali tranquilo, dava umas olhadas, ele retribuia, mas estavamos em meio a muitas pessoas e tomar qualquer atitude ali em meio a tante gente, poderia gerar algum "desconforto" para nós.
Bem, o cara começou a mexer no celular e desapareceu em meio as pessoas, então coloquei a capa de chuva e retornei para encontrar minha amiga.

Para minha surpresa (ou não), Guns 'n Roses estavam atrasados e o show iria começar em cerca de 15 minutos. Resolvi procurar minha amiga, mas como todos estavam com capa de chuva, impossibilitou de me encontrar com ela, foi quando a banda entrou no palco e resolvi ver o show. Me surpreendi com Axl.
O show foi muito bom, ele escolheu muito bem as músicas e a galera surtava a cada música.
Escutar November Rain (minha única música preferida da banda), com aquela chuva toda, foi simplesmente incrível e emocionante demais! Ví muitas pessoas chorarem por ali!
Quando estava quase acabando o show e alguns começaram a seguir em direção a saida (que estava atrás de mim), ví de longe uma pessoa conhecida indo embora. Apesar da capa de chuva, não teve como não reconhecer: Era meu ex!
Eu não sabia o que fazer, como agir, se fugia, se iria falar com ele, entrei em choque. Mas o cérebro voltou a funcionar a tempo e a única coisa que podia fazer, era ficar ali mesmo, do jeito que eu estava, cantando e curtindo o show.
Para evitar qualquer situação, continuei olhando em direção ao palco cantando com a banda e curtindo o show, e assim que ele me viu, ficou parado sem fazer nada. Olhou algumas vezes para ter certeza se realmente era eu que estava ali, passou outra vez em minha frente e foi embora, seguiu com o fluxo de pessoas. Fiquei normal, não olhei para trás e não chorei ou qualquer outra reação que sempre pensei que teria quando o visse.

No fim do show, fui para o ponto de referência em que eu e minha amiga marcamos. Nos encontramos e fomos andando até onde a van nos aguardava.
Meus pés estavam encharcados, camiseta pingando e cabelo molhado. Minha sorte é que havia deixado uma blusa dentro da van, então me sequei com a camiseta e fiquei com a blusa. Minha calça estava molhada somente na parte próxima ao tênis. Infelizmente fiquei com os pés molhados, pois eu estava com medo de retirar o tênis e ficar fedendo a chulé.

Cheguei em minha casa por volta das 15 horas e a única coisa que eu queria, era um bom banho e cair na cama!

Tinha mais 2 dias de folga, então resolvi utilizá-los da forma mais coerente, diante de tudo o que havia passado nas últimas semanas: Ficando na cama o dia todo, saindo somente para comer e tomar banho!

Voltei ao rítmo de sempre e a semana passou muito rápida! Consegui marcar com a cara da cidade vizinha de nos encontrarmos novamente no sábado a noite e assim que chegou o dia, fui me encontrar com ele.
Eu não sei, está sendo muito bom este periodo que estou passando com ele, mas eu não vou me enganar e muito menos a ele. Não quero e nem posso ter um relacionamento agora. Ele sabe de meus planos e já havia dito anteriormente que não procuro um relacionamento.
Nos encontramos aquela noite e como das outras vezes, as coisas começaram a esquentar dentro do carro, mas desta vez disse que ali era perigoso e que podíamos ser pegos, porque era muito mais cedo do que de costume. Perguntei se queria ir a algum lugar, mas como de costume ele somente riu e não disse nada. Sai dirigindo sem destino e resolvi ir ao Habib's que fica no caminho para  a minha casa, pois estava muito quente e eu queria tomar um sorvete.
Ele petrificou, não falava muito e somente de cabeça baixa. Bem senti que ele não estava a vontade, então resolvi levá-lo embora e retornar a minha casa.

Cheguei em minha casa na madrugada, liguei o computador, entrei no Facebook e fui ao banheiro.
Eu estava em uma semana cansativa, estava tenso, queria muito relaxar, iria entrar para o banho e quando voltai para desligar o notebook, havia alguém falando comigo: Era o cara gostoso da cidade vizinha.
Resolvi ver o que ele tinha a me dizer sobre aquele dia.
Me deu a desculpa de que ele iria trabalhar no outro dia, fora que eu tinha de sair pela manhã, ficaria tudo corrido para ambos então resolveu deixar pra lá. Me pediu desculpas várias vezes e pra completar, disse que queria dormir comigo naquela noite!

Sou homem, fazia muito tempo que eu estava sem sexo, aquele homem pedindo para dormir comigo assim, de graça, não sei, o clima tomou conta de mim e então peguei o endereço com ele de onde morava, busquei a rua através do GPS e ví que não era muito longe e não ficava em um bairro perigoso. Fui tomado pela situação e disse a ele que estava indo busca-lo e quando eu chegasse, mandaria uma mensagem em seu celular.
Voltei dirigindo até a cidade vizinha e pensando em toda essa situação, sobre o que faria, falaria, como me portar perto de um cara desses. Cheguei no local combinado, mandei uma mensagem para ele e fiquei estacionado na esquina com o pisca alertas do carro ligado. Fiquei todo nervoso esperando para ver de onde ele chegaria.
Olhava pelos retrovisores e nada, dos lados e nada quando de repente, ele veio vindo pela frente do carro.
Desliguei o pisca alertas, ele abriu a porta do carro e disse: Posso entrar, Eduardo?
Um arrepio de tesão tomou conta de mim...

Esta foi a última parte sobre o Rock in Rio, galera!
Sei que nem todos se interessam por, mas agora passou!
Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Rock in Rio, EU FUI... [ Parte II ]

Pós primeiro fim de semana de Rock in Rio, eu estava muito cansado de toda aquela maratona!
Tirei folga na segunda e terça-feira do trabalho retornando assim, somente na quarta-feira, o que era ótimo pois estava precisando de um bom descanso pois no domingo, retornaria ao Rio de Janeiro pela manhã para o último dia de Rock in Rio.
A semana passou extremamente rápida e meus colaboradores não deixavam de notar o quão ansioso eu estava para que o fim de semana chegasse rápido. Durante a semana combinei de me encontrar com o cara da cidade vizinha antes de viajar.
No sábado, logo ao fim do expediente de trabalho, os colaboradores resolveram vim até minha cidade tomar café na feira: Pastel com caldo de cana, uma até que certa especialidade da cidade. Vieram 12 pessoas e começamos ali todos juntos a tomar café e conversar até ás 10 horas da manhã (lembrando que saímos da fábrica ás 6 horas.)
Cada um para sua casa e fui então para minha descansar e dormir bastante pois no outro dia, uma viagem de 6 horas de van, me aguardava.

Ás 3 horas da tarde, uma tia que amo de paixão me chama no celular para ir a casa dela tomar um banho de piscina e conversarmos (fazemos isso sempre que possível). Passei a tarde na casa dela bebendo, conversando e rindo muito. Através dela descobri que naquele mesmo dia, haveria um churrasco na minha casa em comemoração ao aniversário do meu cunhado! HAHAHAHA... irônico saber que haveria uma festa em minha própria casa e eu ser o único que não sabia!
Mas enfim, cheguei em casa tomei um banho e dei outra cochilada até que as pessoas chegassem.
Fui acordado lá pelas 8 da noite, com uma mensagem do cara da cidade vizinha avisando que não poderíamos sair hoje pois ele estava com visita em sua casa. Bem, então resolvi aproveitar o churrasco.

As pessoas foram embora de casa, creio que era 1 hora da madrugada e então sentei no sofá, para assistir ao show do Coldplay no Rock in Rio e fiquei conversando com alguns amigos no MSN.

Quando era 2:30 da madrugada, um cara que mora na cidade vizinha na qual eu havia adicionado no Facebook há um certo tempo, puxou papo comigo.
O cara é todo charmosão, lindo, másculo, alto, musculoso e tatuado. Sei lá, achei estranho mas continuei a conversa e o cara começou a me xavecar na cara, assim, sem rodeios algum. Não era possível um cara destes estar falando aquelas coisas para mim no meio da madrugada e depois de algum tempo ele me disse:
"Tá afim de encontrar agora?"

Não estava acreditando no que estava acontecendo comigo, não podia ser verdade um cara destes estar falando aquelas para mim, e infelizmente, devido ao compromisso de domingo, disse que não poderia me encontrar com ele, pois ainda precisava descansar. Ele rebateu com:
"Está certo cara, acho que não valho a pena! rs"

O plano do filha da mãe em me confundir, deu certo! Caí feito um pato no conto do cara e disse que iria até a cidade vizinha para encontrá-lo. Ele começou a me passar umas informações de onde ele mora, mas eu não conhecia aquela região e então disse para ele me passar seu endereço pois iria encontrá-lo através do GPS.
Conversamos mais um pouco e quando foi 3:30 da madrugada, perguntei se poderia sair para ir vê-lo. Fiquei até as 4:30 esperando a resposta dele, na qual não veio. Então, resolvi mandar outra mensagem:
"Cara, se você estava afim de tirar uma com minha cara, você conseguiu!
Espero que esteja satisfeito! Mas obrigado por levantar meu ego por 1 hora. Tchau!"

Até pensei em bloqueá-lo e deletá-lo da minha conta do Facebook, mas deixei para pensar melhor no que fazer durante a semana e então, fui dormir pois ás 7:30 teria que sair de casa e encontrar com minha amiga em sua casa para irmos juntos até o local de encontro da van, que seguia ao RJ.

Acordei ás 7 horas da manhã, tomei um banho, me preparei e deixei para tomar café na padaria com minha amiga, antes de seguir viagem. Nunca mencionei sobre esta minha amiga aqui, mas ela é minha parceira de baladas de rock. Ela é mãe solteira, tem 48 anos e é muito doida (doida no sentido de mente mais aberta do que as pessoas de sua idade, mas assim como meus pais, ela é MUITO responsável e ajuizada!). Sua filha, tem 23 anos e é maravilhosa, extremamente linda! Mas enfim, fomos somente eu e esta minha amiga.
Chegamos ao local em que a van partiria e fomos até a esquina tomar café da manhã e comprar algumas bobeiras para levar.
Ás 8 da manhã, a van partiu e ficamos conversando por um certo tempo e já consegui ganhar a antipatia de 10 pessoas em que se encontravam na van (visto que na van cabiam 12 pessoas). Estava conversando com minha amiga sobre as coisas que tinham acontecido comigo desde nosso último encontro há 6 meses atrás.
Minha amiga e eu fomos para ver System Of A Down enquanto as outras 10 pessoas foram para ver Guns 'n Roses. Conversando com ela, sobre o evento, a hora que acabava e etc, disse que esta noite acabaria muito tarde devido a banda Guns, porque seu vocalista, Axl Roses, era um estrela, e que sempre há confusão por onde passa e que sem sombra de dúvidas, o último show da noite, iria atrasar por culpa dele!
Tive de ouvir risos irônicosvan.

Está vendo a roda gigante?...
Apenas 6 longas horas dentro de uma van, até chegar a cidade do rock. Adoro viajar, mas estas longas horas é que sempre me fazem pensar se realmente vale a pena...
Paramos em um restaurante no Recreio do Bandeirantes no RJ e após todos almoçarem, partimos de vez, rumo ao evento.
Cidade completamente lotada, sem espaços para mais pessoas e ao chegar no evento, não acreditava no tamanho da fila em que tivemos que enfrentar para podermos prosseguir.


O fim de minha ida ao Rock in Rio 4, fica para a parte III.
Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Rock in Rio, EU FUI!... [ Parte I ]

Não poderia deixar de comentar aqui minha ida ao Rock in Rio 2011.
Adquiri 2 ingressos na pré-venda no fim do ano de 2010 para que não houvesse arrependimento de comprar apenas 1 ingresso e houvessem 2 artistas que quisesse assistir. É claro que se eu tivesse a aportunidade ($$$) de ir todos os dias, obviamente iria pois em todos os dias havia pelo menos 1 artista que gostaria muito de ver de perto.

Visão da sacada do hotel em que ficamos...
Cheguei ao Rio de Janeiro (cidade que amo de paixão), na quinta-feira a noite. Peguei um ônibus de minha cidade até o Rio porque compensava mais pelo dinheiro e pelo tempo também. Meus amigos vieram de avião, porque moram na capital.
Cheguei antes deles ao hotel e logo fui abastecer nosso frigobar com cerveja e vodka. Quando eles chegaram ao hotel, passaram em uma pizzaria e compraram pizza para jantarmos no hotel. Ficamos até as 4:30 da manhã bebendo, cantando, contando histórias e rindo demais!


Escolhi o primeiro dia porque em qualquer festival grande, a abertura é sempre um espetáculo e estava muito ansioso para ver o que o rock in rio 2011 guardava, e não foi decepcionante, começando pela incrível vibe logo na entrada do evento. As pessoas estavam todas felizes, sorrindo, conversavam umas com as outras, tudo era festa! Não preciso dizer nada também que por motivos óbvios que o primeiro dia do Rock in Rio, foi o dia gay!
Palco Mundo!

Com apresentações das "divas", assim chamadas Katy Perry e Rihanna por muitos fãs que lá estavam, casais gays era o que você mais via por lá. Eu sinceramente não estava nem um pouco empolgado para vê-las mas acompanhei meus amigos em todos os shows que eles foram para assistir.
Foi memorável a abertura falando sobre o evento Rock in Rio no mundo e uma homenagem ao lendário Freddie Mercury cantando Love of my Life. Ouvir 100 mil pessoas cantar esta música foi inesquecível e logo veio acompanhada por Milton Nascimento cantando a mesma música.
Logo após a abertura seguiu-se o evento com Titãs e Paralamas do Sucesso cantando somente os clássicos dos clássicos! Claudia Leite não me impressionou em nada e para mim Katy Perry foi a surpresa da noite!
Não sou fã de saber de tudo sobre, comprar CDs e DVDs, mas conheço algumas musicas e ela soube ganhar o público! Ganhou meu respeito
A apresentação de Elton John dispensa comentários, o cara é lenda e foi um momento único para mim!
Quanto a Rihanna, vi apenas 20 minutos do show (que não me impressionaram em nada) e fui para a tenda eletrônica ver um dos maiores DJs, Above and Beyond que estava com um SetList impressionante!
Tenda eletrônica...
Foi muito bom este dia pela companhia dos meus amigos porque nos divertimos demais! A única coisa que me tirou do sério neste dia, foi uma moleque que aparentemente deveria ter uns 16 anos, e ficava a toda hora durante o show de Katy Perry me cutucando e me passava a mão. Até o momento em que eu olhei bem para ele, cheguei bem próximo ao seu ouvido e disse educadamente: "-Menino, não estou gostando do que está fazendo! Se me cutucar novamente, prometo que vou quebrar seu dedo!". O menino arregalou o olho e saiu de perto.


O primeiro dia de Rock in Rio esgotou com todas as minhas energias e durante o sábado, passei o dia todo dormindo no hotel, nem uma baladinha a noite ou uma praia durante o dia, estava impossível sair da cama.
No domingo, meus amigos e eu acordamos cedo, fomos tomar café e voltamos para o quarto arrumar nossas coisas porque deveríamos sair do hotel ao meio-dia. Quando deu nossa hora, fomos a um bar beber um pouco e comer algo antes de irmos embora. Voltei sozinho de ônibus e recebi uma mensagem do cara da cidade vizinha. Conversamos um pouco e marquei de me encontrar com ele a noite, quando eu chegasse em casa.

Cheguei por volta das 22:30 em casa, tomei meu banho e me preparei para ve-lo. A meia-noite, ele me ligou e fui até a sua casa buscá-lo para nos vermos.Conversamos um pouco, contei a ele sobre o Rock in Rio e ficamos juntos dentro do carro no mesmo lugar que ficamos da primeira vez.
Novamente a coisa esquentou dentro do carro e ficamos lá dentro, nos acariciando e beijando.
O cara da cidade vizinha...
Antes de irmos embora, disse a ele que eramos loucos de ficarmos no meio da noite pelados, dentro do carro, e ele respondeu dizendo que não sabia que era proibido! Tive um ataque de risos.
Contei que não só seríamos presos como apanharíamos muito dos policiais.
Fui deixá-lo de frente para sua casa e ficamos mais alguns poucos minutos dentro do carro abraçados e beijando um pouco. Senti pelo olhar dele que alguma coisa estava acontecendo. Nos despedimos e voltei para casa descansar.

Não sei, como disse anteriormente, não quero nenhum relacionamento sério, até disse a ele sobre meus planos de viajar em breve, mas sinto que existe a possibilidade dele estar começando a gostar de mim, pelo olhar dele, pelas coisas que me fala por mensagens e até mesmo pessoalmente. Esta sendo muito bacana ficar com ele, pois é um cara incrível, mas não procuro um relacionamento a esta altura do campeonato.
conosco ou deixamos o que estamos tendo de lado.
A situação está muito bacana da forma que está e não quero estragar o momento, mas também não quero iludi-lo ou decepcioná-lo.

Bem, ainda estou pensando no que farei, e logo digo como as coisas estão por aqui.
Grande abraço a todos os leitores,
Eduardo Paiva.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O Cara Perfeito...

De uns tempos para cá, notei que praticamente todos as postagens que tenho feito, são simplesmente sobre coisas que tenho passado. Isto pode ser tediante para algumas pessoas. Então desta vez, resolvi (tentar) interagir um pouco mais com os leitores, inclusive aqueles que visitam sempre porém não comentam.

Estava pensando estes dias atrás sobre toda minha história de aceitação e de coisas que deixei de fazer, coisas que preferia não notar ou notava e tapava o sol com a peneira. Então já que tudo isso passou, vamos falar no ponto crucial de tudo isso, vou para um assunto fútil, mas sim, necessário: HOMENS!
Qual o tipo de homem que mais lhe agrada? Não só fisicamente, mas também no inteiror! Gostaria de saber que tipo de homem lhe agrada e o chama atenção?

Perfeito!
Fisicamente falando, gosto muito de caras mais altos que eu (tenho 1,83), com o corpo normal (nem gordo ou nem magro, nem forte ou fraco), subconscientemente os acabo notando mais que os outros. Sinceramente, eu acho completamente surpeficial aquele cara todo saradão, que mora na academia somente para ficar com um super corpo, somente com a intuição de ser notado e desejado. Óbviamente, não serei hipócrita suficiente para dizer que se aparecesse a oportunidade de dar uns beijos com um cara todo musculoso, eu não aproveitaria! Claro que sim! Estas pessoas transpiram sensualidade, testosterona e fazem a mente de muitos viajar além, inclusive. Já fiquei com alguns homens musculosos e nem todos foram bons, como imaginei. Uns não tem pegada, outros nem sabem beijar.

Quanto a beleza, está nos olhos de quem vê! Quem ama o feio, bonito lhe parece!
O digníssimo Ex, não era o padrão de beleza na qual eu admirava ou a sociedade julga como, mas o amei de uma tal forma, que este padrão de beleza era um mero detalhe na qual eu nem notava. As qualidades que ele tinha, nem me faziam perceber tais detalhes.
Creio que não é somente comigo, mas dou muito mais valor a pessoas que tem aquele charme, tem aquela coisa diferente, que chama a atenção, que tem aquele detalhe e as vezes é até difícil de explicar.

Meu número
Cor de pele? Olhos? Cabelo? Sotaque? Indiferente! Mas não posso deixar de dizer que tenho um leve TOMBO por morenos...
Porém a pessoa me ganha pela conversa, me ganha pelas coisas em comum, a pessoa tem de ser bem articulada! Eu já sou bem vergonhoso, mas depois que me deixo conhecer, o papo flui naturalmente. Mas existem pessoas que mesmo depois de conhecemos, continuam com aquele jeito todo calado e vergonhoso, não conseguem conversar e praticamente "sobrecarrega" a outra pessoa que tem de improvisar assuntos e a conversa acaba ficando muito tediante, o que para mim é broxante!

A pessoa que descrevo, seria mais ou menos assim...
Outra coisa que para mim é broxante e acabo perdendo o interesse, é o fato do cara ser afeminado e ter a voz fina. Sou gay e isto não me faz querer ser/agir como uma mulher. Sou homem e gosto de homem e isto faz toda a diferença. De verdade, nada contra quem é desta forma. Um grande amigo de SP tem a voz fina e é até um pouco afeminado e somos grandes amigos, gosto demais dele. Não tenho nada contra, mas não é minha praia!

 Humor ácido! É sério, aquelas pessoas que tem aquele humor um pouco mais ácido ou somente por me fazer rir, ganha muitos pontos e os acabo notando mais! Confesso, sou um bobo alegre que rí de qualquer besteira dita.


Bens materiais? Nem quero entrar muito no assunto, mas não, para mim é indiferente!
Sei cuidar muito bem das coisas que possuo e procuro aqueles que também saibam, e deem o devido valor ao que conquistaram: Responsabilidade!
A pessoa tem de saber o que quer, tem de ser discreta!

E quanto a vocês, leitores?
Como é o cara perfeito para vocês?
É claro que há muito aqui o que descrever sobre o cara perfeito para mim, mas isso já é uma base!
Tem alguém assim para mim, aí?

Grande abraço,
Eduardo Paiva.

**As fotos foram retiradas diretamente da internet e qualquer problema quanto a imagem, por favor, entre em contato e deixe seu telefone e endereço para que possamos negociar! rs**

domingo, 18 de setembro de 2011

O cara da cidade vizinha...

Mensagens no celular, poucos contatos e chamadas perdidas me marcaram durante a semana toda.
Sexta-feira passada, conversei com o cara da cidade vizinha onde descobri o mesmo iria até São Paulo para comprar seu celular novo, mas o mesmo não me deu muitos detalhes de onde e com quem iria e logo pela tarde partiu sem nos falarmos muito.
Bem, fazia muito tempo que não curtia uma balada lá e como estava de folga e não havia nada para fazer por aqui, tomei um banho, me arrumei e fui na casa de meus colegas e os intimei a irem comigo para São Paulo assim, do nada. Uma hora depois de avisá-los que estaria passando na casa deles, levei 1 pizza para comermos antes de ir e assim que terminamos, partimos rumo a balada.

Mas onde ir? Decidimos sair assim do nada sem pensar onde iríamos, então enquanto dirigia, discutíamos se iriamos a The Week ou Bubu Lounge. Acabamos decidindo pela Bubu e em 1 hora e 30, chegamos lá.
Apesar de ter ido pouquíssimas vezes lá, mas eu adoro esta balada que tem muita gente bonita e música excelente! Mas desta vez, não sei o que aconteceu pois nunca tinha visto aquele lugar tão vazio e a música não estava assim tão boa. Meus colegas aproveitaram muito, pois já foram com sede de beijar na boca e assim não perderam tempo quando chegaram. Eu por outro lado, sempre vou para me divertir e dançar e assim o fiz.
É claro que paquerar e ser paquerado é muito bom, mas sinceramente não estava no dia pra beijar na boca, eu realmente estava preocupado em me divertir com meu colegas. Quando estava chegando no fim da noite, fui ao bar comprar uma garrafa de água e ví alguem que me pareceu familiar, mas não lembrava de onde. Quando lembrei, caí para trás! Era meu chefe de setor da filial na capital. Eu não acreditava que aquele cara maravilhoso e CASADO estava naquele lugar. Não sei se ele me viu ou me reconheceu, pois nos vimos poucas vezes e participei de algumas palestras na capital, mas definitivamente era ele. Mas enfim, não tenho nada a ver com isso e ele que fizesse bom proveito da balada.

Fim da noite, voltamos para nossa cidade e fui direto para a cama acordando durante a tarde com meu amigo me chamando pelo rádio. Ele estava me chamando para assistir o jogo na casa dele, tomarmos uma cerveja e botar o papo em dia. Conversamos bastante, contei sobre a balada e falei sobre o cara que mora na cidade vizinha. Recebi o maior apoio dele, disse para eu ir e ver no que dava, que não significava que eu iria me apaixonar ou até mesmo o cara. Ele me disse praticamente o que me disseram nos comentários do post passado, então resolvi investir.
Comecei a trocar mensagens com o cara nesta semana, porém não sentia que o cara realmente estava afim, porque na troca de mensagens suas respostas sempre eram: "aham" "tá" "OK" "é msm" "blz" "pode deixar".
Somente respostas curtas e sempre eu que começava as conversas, então resolvi desencanar e parar de mandar mensagens, então 1 dia sem mensagens resultou em ligações perdidas dele enquanto eu dormia, algumas mensagens e eu respondia sempre, então nesta sexta-feira, o chamei para sair no sábado, mas segundo ele, tinha um aniversário para ir, então desencanei de vez.

Sábado á tarde, acordei e resolvi ficar na internet conversando e praticando meu inglês através do Skype com um colega, que inclusive sabia sobre o cara da cidade vizinha e durante nossa conversa, o cara ficou online mas não trocou 1 palavra comigo, então percebi que o cara não queria nada mesmo comigo.
Meu amigo insistiu frenéticamente para que eu ligasse para o cara, então resolvi mandar 1 mensagem. Sem esperança de resposta, continuei a conversar com meu colega e minutos depois olhei no celular e ví que tinha uma chamada perdida do cara. Resolvi ligar e nada de resposta, então mandei outra mensagem e começamos a trocar SMS:

"Desculpa cara, meu celular estava no silencioso e não vi sua chamada, me perdoe! Boa noite!"
"Não desculpo não, kkkkkkk... quero te ver!"
"Tbm quero te ver, mas como?"
"Vem que to facinho pra vc!"
"NOSSA! Como assim? mas não vai no aniversário?"
"Ja estou nele, mas é na casa de minha prima, festa de criança"
"kkkkk... ah sim, mas iríamos onde? A esta hora não tem nenhum lugar pra sair mais!"
"kkkkkk.... vem que a gente arruma um lugar pra ficar!"
"OK, vou trocar tomar banho e me arrumar, me passe o endereço onde possa te pegar."
"Chego em casa meia-noite, endereço XXX, passa lá dps desta hora que te espero!"
"Blz, dps da meia noite estarei ai! Bj e ate mais tarde!"
"Bjs, te espero então!"

Tomei meu banho, troquei de roupa e fui abastecer o carro antes de me encontrar com o cara. Passei para conversar um pouco com meu colega com quem falava pelo Skype e a meia-noite, fui para o endereço que o cara me passou. Cheguei na frente de sua casa, ele entrou no carro, nos cumprimentamos com um aperto de mão e perguntei onde poderíamos conversar, já que relamente ali por perto não tinha lugar algum para ir.
Estacionei o carro em uma praça próximo a sua casa e ficamos conversando um pouco e nos conhecendo melhor dentro do carro.
O achei muito mais bonito pessoalmente do que na foto. Cabelo castanho claro, bem branquinho, forte, mas não bombado, mesma altura que eu, e muito cheiroso!

Começamos a nos beijar e a coisa começou a esquentar dentro do carro. Eu sinceramente não esperava fazer nada naquela noite, nem havia me preparado para nada, somente queria conhecer melhor ele, bater um bom papo e beijar um pouco, mas as coisas começaram a tomar outro rumo ali dentro do carro.
Os vidros se embaçaram em minutos, ele começou a tirar minha blusa, me passava a mão e comecei a ficar excitado, até que ele pôs a mão dentro da minha calça e começou a sorrir para mim. O tesão começou a tomar conta de mim e fui perdendo o controle e quando percebi, estavamos sem camisa e com as calças até o pé! Não rolou sexo, mas ficamos nos acariciando e sentindo o corpo um do outro.
Ficamos ali namorando dentro do carro mesmo até ás 03 horas da manhã. Conversamos mais um pouco mais depois que nos conhecemos melhor e o deixei na porta de sua casa. Antes de sair do carro, ele me fez uma pergunta:

"Cara, adorei conhecer você! Me arrependi de não termos marcado nada antes, mas me promete uma coisa? Promete que vamos nos ver logo? Promete que nos veremos em breve?"
"Prometo, prometo que nos veremos em breve sim cara! Gostei muito de ter te conhecido!"

Nos despedimos com outro beijo e ele foi para sua casa.

Eu sinceramente, adorei ter conhecido ele! Simpático, bonito, atraente e muito cheiroso, coisa que conta muito para mim. Ele é realmente uma pessoa propícia para se ter um relacionamento saudável.
Mas enfim, ainda é muito cedo para se pensar em qualquer coisa, visto que eu não pretendo ter qualquer tipo de relacionamento com alguém mas iremos marcar de nos encontrar mais vezes.

A noite de ontem foi, muito boa! Dormi feito um bebê, rs!
Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

domingo, 11 de setembro de 2011

Voltei com novidades...

Olá leitores!

Este este meu pedaço da internet realmente me faz muito bem e MUITA falta! Tantas coisas aconteceram neste curto período que fiquei de fora, coisas chocantes, boas, ruins, divertidas... foi um misto de tudo!
Obrigado aos comentários, emails, DMS no twitter, as conversas no MSN, realmente senti falta de tudo isso aqui!

Bora as novidades?
A fábrica parou! Sim, estão acontecendo algumas mudanças na linha de produção e a liberação de estoque excessivo dos produtos, me fizeram "descansar" por 9 dias! Ufa, eu estava precisando e MUITO! Finalmente eu iria poder levar uma vida de pessoa comum durante 9 dias, que é:

*Dormir durante a noite (O sono do dia não é o mesmo da noite)
*Encontrar com os amigos e colegas (Normalmente os vejo 1 vez por semana)
*Praticar esportes
*Happy Hours (Meus queridíssimos amigos me ligam no trabalho para fazer inveja...)
*Aniversários
*Churrascos
*Festas de família
*Literalmente descansar

Comecei fazendo exames rotineiros no médico que no final das contas não foi constatado nada de mais, a não ser baixa imunidade. Tenho de me cuidar mais e evitar esta minha rotina de dormir e trabalhar, trabalhar e dormir. Fugir da rotina de um proletário noturno só me fez bem!
Depois do médico, pude finalmente jogar volei todas as noites com meus amigos e depois sairmos juntos e lanchar. Fora os bate-papos na rua até as 2 horas da madrugada, sessão de filmes e passeios nas cidades vizinhas. Baladas? Sim, fui em algumas! Peguei alguém? Não!

É claro que beijar faz muito bem, paquerar e ser paquerado, mas desta vez eu literalmente me concentrei mesmo em me divertir com os amigos e descansar, procurei fazer coisas que eu normalmente não consigo fazer devido aos horários apertados.
Tenho tantas coisas pra falar, tantas coisas aconteceram neste curto período de tempo, mas gostaria de tratar de um assunto com vocês e adoraria ouvir suas opiniões.

Facebook::: Na semana que eu saí de folga, acabei postando alguns comentários em algumas fotos de um amigo e um amigo dele me chamou atenção. Visitei seu perfil e estava completamente bloqueado, então voltei para minha página e para a minha surpresa,  eu havia acabado de receber o famoso "Cutuque" deste rapaz.
Comecei a rir e retribuí o cutuque para o rapaz e logo já recebí um convite para adicioná-lo como amigo. O adicionei e puxei papo.

Mora na cidade vizinha a minha, muito bonito, tem um charme diferente que me chamou atenção, porém, depois de começarmos a conversar ao longo da semana, percebí que já ví esta história anteriormente. Está muito parecida com a forma que conhecí e me apaixonei pelo digníssimo Ex. Uma coisa que me fez refletir bastante também, é o fato de termos uma diferença de 6 anos de idade.
Por mais que a pessoa possa ser mais jovem e ser uma pessoa madura, mas 6 anos fazem muita diferença querendo ou não, principalmente quando se trata experiência de vida.

Estamos para marcar de nos encontrarmos e comer um lanche no shopping, bater um papo e assistirmos um filme. Não sei, ainda não tem nada marcado, mas sim, estou ansioso para encontrar com ele e ele demonstra o mesmo interesse!

Agora é que vem a pergunta que me atormenta: Será que vale a pena?
Porque, como eu já havia dito em posts anteriores, eu não estou preparado e nem pretendo me relacionar com alguém logo agora no fim do ano, quando estou prestes a viajar. Imagina se me apaixono? É claro que tenho a consciência que não mando no meu coração e que se tiver de acontecer, acontecerá. E a única coisa que posso fazer, é o que estou faço: Evitar de conhecer pessoas.
O que vocês acham de tudo isso? Qual a opinião de vocês? 

Enfim, tenho tantas coisas para contar, que passaria horas aqui escrevendo, mas tenho que me segurar e manter para as próximas postagens.
Realmente sentí muita falta disto aqui galera, muita falta mesmo! Isto é uma terapia!
Um grande abraço a todos, sentí falta de ler seus comentários e comentar na bloguesfera.

Eduardo Paiva.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Update::: Volto logo...!

Leitores:

Peço perdão pela minha displicência com relação ao blog.
Tenho passado por muitas situações adversas que tem me mantido ocupado por aqui. Estou tendo alguns problemas no trabalho, alguns muitos problemas particulares e isso tem afetado diretamente na minha saúde.
Além de "não poder faltar" ao trabalho, existem outras situações que estão virando uma bola de neve, e se eu acabar não resolvendo isto logo, não conseguirei lidar mais com algumas situações.

Como já devem ter percebido, tenho comentado pouco em blogs que costumo sempre prestigiar, tenho demorado muito para fazer atualizações e quando os faço, o conteúdo fica pobre (ao meu ver). Tenho costume de sempre que posso, estar online no MSN, porém agora este tempo esta ficando mais escasso.
Gostaria de pedir desculpas aos leitores com quem eu conversava na madrugada de domingo para segunda-feira (20/08 - 21/08). Naquela madrugada eu acabei passando muito mal de repente, e acabei indo parar no hospital com uma virose que ainda insiste em me atormentar.

Estou dando um tempo para poder resolver minha vida e cuidar um pouco mais da minha saúde, que de uns tempos para cá, só tem piorado. Somente este ano, peguei gripe 3 vezes!
Eu prometo que volto e continuarei lendo todos os meus emails e respondendo sempre que eu puder.
Os recebo diretamente no meu celular e os leio todos os dias, porém respoder já é um pouco mais difícil, mas respondo, rs.

Anyway, prometo que retornarei assim que as coisas melhorarem por aqui!
Um grande abraço, e se cuidem!
Eduardo Paiva.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Sim, (não) sou Hétero!...

Se eu fosse heterossexual, eu estaria muito bem de uns dias para cá. Fatos decorrentes de uns poucos meses para cá, de uma certa forma tem me deixado de certa forma com o ego inflado.
Citarei aqui alguns que tem acontecido comigo!

CASO 1:::: Quando me alojei na cidade vizinha para os jogos da região, conheci muitas pessoas bacanas na qual ainda mantenho contato com algumas delas. Fiz muita amizade com os meninos do basquete, que tem na faixa de 22 a 26 anos e também com as meninas do volei, que tem na faixa de 15 a 18 anos. Trocamos telefone e nos adicionamos em redes sociais para facilitar melhor nosso contato, o que inclusive acabou gerando o casal na galera. Acreditem ou não, mas o gostoso do Lutador agora está namorando com uma das meninas do volei, e pasmem, a menina tem APENAS 16 anos! Tudo bem que diferença de 9 anos de  idade não é lá grande coisa, mas a literalmente menininha tem só 16 anos, e para a minha surpresa há 2 semanas atrás o lutador me chamou no MSN dizendo que uma das meninas do volei (de apenas 15 anos), está MUITO afim de mim!
Eu tive um ataque de risos e no mesmo instante liguei a webcam para mostrar ao Lutador minha reação, na qual ele não diz entender o porque da mesma (ressaltando a nossa diferença de 11 anos).

CASO 2:::: No fim do ano passado, fui convidado por uma das meninas que trabalham comigo para um churrasco na casa de uma delas, que segundo elas mesmas, estaria cheia de gente. No fim das contas, tinham apenas 8 pessoas; 4 meninos e 4 meninas. Estranho não é mesmo?
Enfim, começamos a beber, curtir o som, beber mais até que teve um momento em que entrei na casa para buscar outra cerveja. Quando estava de frente com a geladeira aberta e com uma lata na mão, as luzes se apagaram e uma das meninas que trabalha comigo, chegou e já me tascou um beijo na boca!
Morena, um pouco baixa, 26 anos, um super corpo, rosto mediano, burra como uma porta e beija incrivelmente bem! Como eu estava um pouco alterado e com pessoas conhecidas por perto, eu não quis dar bandeira e acabei ficando com ela naquela noite, mas não transei com ela pois não estava nem um pouco á vontade para isso, apesar da insistência dela ao passar a mão e ficar se esfregando.
No outro dia, as pessoas na fábrica diziam que eu sou como os mineiros "Come quieto, pelas beiradas".
Até hoje a moça não sai do meu pé, inclusive quando está perto das meninas, ela insiste em convites tipo perguntar quando terá outro churrasco, se eu não toparia ir acampar com elas, se eu não aceito ir como seu acompanhante em festas. Minha fama de "garanhão" na fábrica está em alta!

CASO 3:::: Meu melhor amigo trabalha em uma loja de calçados aqui na cidade e sempre que posso, vou á loja para irmos almoçar e botar o papo em dia. Neste dia dos pais, como ele não tem pai e seu namorado iria passar o dia com seu na cidade vizinha, ele aceitou o convite de minha tia para ir ao churrasco em sua casa.
Passamos o dia todo bebendo e rindo na beira da piscina e quando estava anoitecendo fomos jogar volei com nossa galera no ginásio próximo a sua casa.
No carro, ele me contou que a moça que trabalha no caixa da loja, é cega de amores por mim e todas as vezes que eu apareço por lá, ela fica respirando fundo. Segundo palavras dela:

"-Ele é muito lindo, tem um charme diferente, é muito cheiroso e um sorriso encantador! Porfavor, fala que ele não é gay! Ele é?"
"-Claro que não! Pode apostar que ele é BEM hétero!"
"-Ai meu Deus! Fala pra ele que eu moro perto da casa dele e que sempre vejo ele indo pegar o ônibus para ir trabalhar! Fala que eu choro na dele!"

Tive outro ataque de risos!
Agora entendo o porque meu amigo sempre me faz passar sempre no caixa em que ela trabalha quando eu compro algo, apesar de lá ter 5 caixas diferentes.

Me lembro de quando me enganava/negava meus desejos e queria provar de todas as formas que era hétero, essas coisas nunca aconteciam, sempre era rejeitado e as poucas vezes que beijava ou até mesmo, poucas vezes transava, era em festas e baladas onde as pessoas estavam completamente loucas e chapadas, haviam perdido todo o senso e noção!
Sem contar que ás vezes mesmo estando nas boates da vida, algumas meninas vem me perguntar se sou hétero e algumas ainda pedem ao menos um selinho; e eu dou, rs!

CONCLUSÃO:::: Agora que resolvi viver a vida da forma que sempre quis e sempre desejei, do que adianta toda essa mulherada cair matando? Se eu fosse hétero, isso NUNCA estaria acontecendo e provavelmente estaria matando cachorro a grito!
De verdade, não sei o que está acontecendo de uns tempos para cá, toda essa impressão de "Charme Héterossexual" que tenho causado nas mulheres é em vão e não acrescentará mais nada em minha vida.
Agora me pergunta a impressão que tenho causado nos homens que paquero? Bem, nem queiram saber, porque parece que voltei a ter 15 anos!

Grande abraço á todos,
Eduardo Paiva.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Estatus de relacionamento... (Dia do Solteiro!)

Nem imaginava que esta data existia, mas o dia do solteiro existe! Datas como dia dos namorados, dia dos pais, mães, avós, crianças e etc... são apenas datas comerciais pois todos os dias é dia de quem amamos, mas como se "comemora" o dia do solteiro?
Acordei hoje pela manhã e fui surpreendido por ser marcado em várias tags e fotos no Facebook com relação ao dia do solteiro, a hashtag #DiaDoSolteiro lidera no Brasil como um dos assuntos mais comentados do Twitter, fora que em alguns blogs que tenho visitado, assuntos como relacionamentos, namoros, solidão e coisas correlatadas ao assunto Estado Civil, tem me perseguido por várias semanas, sem comentar músicas, eufemismos em mensagens e todo o tipo de coisas do meu cotidiano.

Será que realmente é possível ser feliz sendo solteiro?
Bem, na minha modesta opinião, eu sinceramente não sei. Pessoas são pessoas, cada qual com seu cada qual, cada um sabe onde o próprio calo aperta e sabe o que fazer para ser feliz, basta querer!
Sempre fui muito sozinho, na verdade sempre preferi ficar sozinho, mas isso não quer dizer que eu goste disso. Estar comprometido afetivamente com uma pessoa, é aceita-la da forma que ela é com todos os defeitos e qualidades, é empenhar-se a fazer feliz aquele que escolhemos tanto quanto queremos ser, tem de existir reciprocidade, comprometimento e principalmente querer se estar em um relacionamento.

Sinto muita falta de ter alguém junto a mim, acordar com mensagens no celular, esperar ansiosamente por uma ligação, aquelas conversas bobas no telefone que duram 1 hora, sentir saudades, ficar com o coração apertado quando se espera por algo, assistir a um filme juntos, ouvir uma música e não tirar a pessoa da cabeça, deitar juntos e sentir a respiração e as batidas do coração sincronizadas... enfim, ter alguém para mimar/ser mimado.

Mas também adoro a liberdade que tenho, flertar e ser flertado, ter a liberdade de escolher os lugares onde quero ir, sair com os amigos, não ter hora de ir/voltar, sair para beber, enfim, ter meu próprio espaço.
Não sei se é porque estou solteiro e sentindo falta de ter alguém ao meu lado, mas tenho estado meu para baixo de uns dias para cá, tenho me pego pensando muito nos relacionamentos passados, escuto musicas e começo a lembrar de pessoas. Até ontem a noite, eu e um colega do volei ficamos até tarde da noite conversando sobre relacionamentos.
No momento em que passo, devido a horários e compromissos profissionais e até mesmo devido a projetos futuros, não me vejo em um relacionamento e apesar de sentir falta, nem sei se eu realmente quero estar em um. É tudo muito bom e recompesador, mas um relacionamento a esta altura do campeonato, somente atrapalharia, atrasaria e serviria apenas para me confundir quanto as minhas decisões futuras.




Até o presente momento, sim, eu me sinto feliz em ser solteiro. Tem seus altos e baixos assim como aqueles que já são comprometidos, mas apesar dos pesares, estou feliz com minha condição e o que ela tem me proporcionado nos ultimos tempos.

E vocês leitores? Como encaram todas essas situações rotineiras de solteiros e comprometidos?
Vocês namoram, casados, solteiros?...

Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Coincidência ou o quê?....

Das duas últimas vezes que fui a boate Bubu Lounge Disco em São Paulo, por mero acaso me deparei com um cara muito bonito que encarando de longe, algo que alguns dos meus amigos gays chamam de boy magia. Na primeira vez, meu colega me apontou o cara, mas não tive coragem de chegar para conversar com ele, pois a beleza do mesmo me intimidou demais. Ele tem cerca de 1,80 de altura, corpo malhado não bombado, pele clara, cabelo castanho escuro curto estilo militar, tem os olhos levemente puxados, um sorriso muito bonito e se veste extremamente bem.
Na última vez que estive lá, me encontrei novamente com o mesmo cara me encarando na pista de dança. Ele dançava sozinho e de vez em quando, pegava ele me olhando, mas como já comentei aqui, neste dia meu celular foi roubado e perdi totalmente a vontade de estar naquele lugar e acabei me esquecendo do cara.
Bem, agora finalmente começa minha história...

No sábado, dia 30 de julho, minha hora extra foi cancelada em cima da hora, então eu tinha finalmente a noite de sábado para aproveitar. Eu estava sedento por uma balada, estava na vibe de dançar a noite toda, mas não estava nem um pouco afim de ir sozinho. Fui a casa do meu melhor amigo convidá-lo para fazer algo, mas ele estava afim de ficar em casa com o namorado e seus familiares tomando cerveja e jogando truco. Até fiquei atentado a ficar lá, pois a família dele é extremamente gentil e me acolhem como se eu fosse da família deles. Mas não adiantava, eu queria balada! Tentei entrar em contato com outros colegas, mas uns foram viajar, outros tinham compromisso no domingo pela manhã, outros não atendiam o celular então já estava ficando frustrado e quase indo sozinho para uma balada na cidade vizinha onde meus primos constumam ir.
Porém meu amigo recebeu um telefonema de um colega chamando-o para ir a boate da cidade vizinha. Meu amigo recusou porém disse que eu estava afim de balada e o cara aceitou ir comigo. Eu já o conhecia e nos falávamos pouco, mas com a vontade que eu estava de sair pra balada, aceitei o convite. Aqui na região, eu nunca havia ido á uma boate GLS, nem passava pela minha cabeça ir porque não queria me expor na região com medo de encontrar alguém conhecido. Eu na verdade queria ir para São Paulo, mas não havia condições pois o carro estava com alguns problemas e eu não podia dirigir para um lugar mais distante, então fui com o cara para a boate.

Ele é conhecido das drags da boate, então entramos VIP sem enfrentar fila alguma.
O local até que não era dos piores, com algumas poucas pessoas interessantes que já estavam acompanhadas e a músíca era boa.Comprei a pulseira para o Open Bar e fui para a pista dar uma volta onde acabei me deparando com dois colegas na qual eu estava tentando entrar em contato para sairmos naquela noite. O colega de meu amigo, acabou sumindo então passei a noite toda dançando com meus colegas.
Me arrependi amargamente de ter ido para a área do Open Bar. Muita gente esfomeada, bebidas de péssima qualidade servidas em copos descartáveis. Bebi quatro copos de Vodka com Energético que foram suficientes para me deixar azedo, então resolvi descer e dançar careta mesmo.

Ao descer as escadas e chegar na pista de dança logo avistei meus colegas dançando ao lado do bar e quando estava chegando próximo deles, adivinha quem eu avistei? O boy magia da boate Bubu!
Eu o ví e ele também me viu. Ele estava acompanhado de um provável amigo, pois riam muito dançavam juntos mas não trocavam carícias, nem ficavam de mãos dadas, então passei por ele e fui de encontro aos meus amigos dançar. O cara começava a dançar virado para mim, olhava para seu amigo e falava algo em seu ouvido, riam e continuavam a dançar. Teve momentos em que ele dançava muito próximo a mim e encostávamos nossas costas, mas nenhuma ação de ambas as partes. Meus colegas ficavam loucos e mandavam eu chegar no cara, ás vezes me empurravam próximo ao cara, mas eu não tinha coragem de chegar e puxar papo com ele.

Teve um momento em que ele passou ao meu lado e nossas mãos se tocaram e ele continuou seu caminho, então sem pensar fui atrás do cara, mas infelizmente com a multidão á minha frente, acabei perdendo-o de vista então fui lavar meu rosto e voltar para a pista. Lá estava o cara novamente com seu amigo dançando e eu novamente fui de encontro aos meus colegas. O cara novamente vinha dançar próximo de mim e voltava com seu amigo, falavam um com o outro, riam e voltavam a dançar.
Já estava chegando ao final da noite e nada de nós dois ao menos conversarmos, então o cara parou de dançar e ficou parado do meu lado, grudado comigo, inclusive achei que ele chegaria em mim, mas nada do cara tomar alguma atitude. Me deu um gelo na barriga, então bebi um gole de água da garrafa de meu colega e me virei para o cara, peguei na mão dele e pedi para conversarmos fora da pista.

O cara me olhou com uma cara de bravo e disse: NÃO!
Minha cara caiu no chão, fiquei sem reação alguma e fui em direção ao banheiro. Lavei o rosto novamente e fiquei pensando no que aconteceu sem entender nada. O cara começa me encarar desde a boate de São Paulo DUAS VEZES, chega aqui na boate da região e me encara a noite toda, dança próximo a mim, fica parado do meu lado várias vezes: QUAL É A DO CARA?

Será que sou tão esquisito assim ao ponto do cara não parar de me encarar?
Achou que me conhecia de algum lugar?
Bem, meus colegas que lá estavam, ficaram sem entender nada, ainda mais que na hora em que estávamos saindo da boate o cara ficou parado próximo a saída e quanto eu estava chegando perto, agarrou um cara e  começou a beija-lo. Tudo bem que gosto é gosto e ninguém discute, mas modéstias á parte, mas sou muito mais eu que o cara que ele estava, inclusive isso foi dito pelos meus colegas ali presentes que ainda notaram que o cara ficava me encarando enquanto beijava o outro.

Segundo meu colega, por toda a beleza do cara que realmente chama muito a atenção das pessoas, pode ser que o cara queria que eu ficasse pagando pau para ele, ficasse paparicando e insistisse com ele.
Sinceramente, não sei o que pensar nesta situação, se o que meu amigo disse faz algum sentido ou se foi coisa da minha cabeça e de meus colegas, mas eles inclusive eles estavam em São Paulo e viram que não foi coisa desta balada e que era de outros lugares.
Bem, se o cara queria que eu ficasse paparicando-o a noite toda, ficasse pagando pau para ele, rastejasse aos seus pés, ele pode ter certeza que isso ele jamais conseguirá e sinceramente nem espero isso da parte dele, mas se realmente for isso, o cara é um babaca de mão cheia, o cúmulo da ignorância!

Algo parecido já aconteceu com vocês leitores?
Já pagaram pau para alguém ou vice-versa? Me conte como foi a experiência!

***ATENÇÃO LEITORES***
Simplesmente é muito bom conversar com todos através do MSN ou e-mail, me divirto muito com seus relatos, histórias e trocarmos experiências, mas existem usuários que ainda insistem em saber meu nome, cidade que moro, ver fotos e promiscuídades.
A idéia do MSN não é esta, mas sim trocarmos informações e conhecer melhor nossas experiências, então PORFAVOR, não insista pois nada será revelado!

Obrigado pela atenção,
grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.