sábado, 22 de setembro de 2012

Cleaning Job...

Esta semana, passei quase todas as noites dormindo muito tarde. Ficava até altas horas da madrugada, vagando por sites de emprego, buscando por vagas com coisas que eu poderia fazer sem a necessidade de mentir no CV, o que inclusive, me rendeu uma entrevista por telefone pra uma vaga de emprego na minha área aqui em Dublin, em uma fábrica que fornece caixas de papelão. Uma vaga no setor de qualidade e que seria perfeita para mim, mas eles procuravam alguém com passaporte europeu, o que não é meu caso.
Passaporte Europeu
Ficando extremamente desanimado, eu estava perdendo horas e horas de sono, rolava na cama por 2 horas e então, acabei ficando bem doente pela brusca mudança de clima que tivemos aqui nesta semana. (Ontem começou o outono europeu com a temperatura chegando a 02 ºC durante a noite)

Quando na terça-feira durante a hora de almoço, um colega brasileiro que é responsável por setores de uma empresa de limpeza aqui da Irlanda, posta em seu facebook que ele estava precisando de 1 pessoa para trabalhar naquela semana, e eu claro, já o chamei por inbox. Ele também precisava de alguém com o passaporte europeu, mas acabou me oferecendo um treinamento remunerado na semana, trabalhando 3 horas por dia (o que é carga horária comum neste ramo por aqui).

Cleaning job.
Fui trabalhar na terça, quinta e sexta-feira, tendo ajuda deste meu colega e de algumas pessoas que lá trabalhavam, que inclusive eu conhecia alguns deles. Trabalho um pouco pesado, cansativo e desgastante, mas a carga horária ajuda e o salário é o melhor, comparando com todos os subempregos daqui. Trabalhar na faxina, não é uma tarefa fácil, mas ajuda demais e posso pagar todas as minhas contas, sair no fim de semana e guardar uma grana pra viajar. Agora no começo, estarei apenas cobrindo férias de algumas pessoas, quando alguém precisa faltar ou quando precisarem de alguém em algum lugar novo. Ficarei fixo em algum lugar quando alguém pedir para ir embora ou ser dispensado.

Meu humor melhorou 1000%, conversei já com meus amigos e familiares que estavam muito preocupados comigo para avisar que já consegui algo que vai me ajudar a pagar as contas e que eles não precisam ficar preocupados mais. Estou aliviado e feliz demais!

Obrigado a todos pela força e pelas mensagens e conversas que tive!
Prometo que agora consigo ficar mais antenado por aqui do que nas ultimas semanas!
Grande abraço a todos e obrigado pelo carinho de sempre,
Du Paiva.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Hanging by a Thread...

Boa noite leitores!

Estou escrevendo hoje, para explicar o motivo de minha ausência nestas ultimas semanas.

Eu estou por um fio, aqui na Irlanda. A situação não esta nada boa.
O verão esta chegando ao fim, e com ele, as horas de quem trabalha estão sendo diminuídas. As vagas de emprego estão ficando cada vez mais raras de se encontrar, e as que aparecem, exigem um grau de experiencia que eu não sou capaz de mentir em meu CV, pois não conseguiria colocá-las em pratica.

Meus amigos estão se empenhando ao máximo para me ajudar, porém, não estou tendo sucesso com nada. Eu literalmente, estou por um fio!
Todo o dinheiro que eu trouxe, esta no fim e não tenho mais de onde tirar... infelizmente.
Meus pais querem me enviar dinheiro a todo custo, mas não posso aceitar. Sou independente a um bom tempo e depender dos meus pais novamente, seria o fim para mim. Meu orgulho é muito maior!
Fora que sou de família simples, sem regalos e sem esbanjar nada... não seria justo com meus pais, eu aceitar o dinheiro deles... fora de cogitação!

Enfim, estou ausente, por estar focado em procurar um emprego... está difícil, esta sendo cansativo, mas eu não vou desistir! Chegarei até onde for possível, e se nada der certo, troco a data do meu voo do ano que vem, para daqui há algumas semanas...


Grande abraço a todos,

Du Paiva.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Let's Have a Kiki (in London)...

Bem, como muitos sabem, tenho uma paixão pelo vôlei. Pratico desde criança e já participei de vários campeonatos da região, defendendo minha cidade na época do escolar e depois de adulto. Inclusive joguei muito bem, modéstia a parte, mas depois de sofrer uma lesão em cada joelho, nunca mais fui o mesmo e tive de parar com os treinos para campeonatos, somente brincando durante os fins de semana com meus amigos, fora que minha vida profissional, não deixava eu me dedicar 100% com os treinos. Já assisti vários jogos da liga nacional, inclusive jogos do Grand Prix e liga mundial.
Brasil 3x2 Rússia
Quando optei pelo intercambio na europa, o que pesou demais, foi a realização de um outro sonho: Assistir a uma final olímpica, com ou sem o Brasil como participante. (Vocês não fazem idéia do quanto eu sofri aqui em casa nesta terça-feira no jogo entre Brasil x Rússia, rs)
Então, no Brasil mesmo comprei 4 ingressos para as finais do vôlei feminino (2 semi-finais, disputa do 3º e 4º lugar e a grande final), onde embarquei ruma a Londres ontem, dia 09/Agosto ás 6:30 da manha.

Estou completamente nervoso e ansioso, não somente pelo fato dos jogos olímpicos, mas também porque tenho uma paixão platônica por Londres. Tantos lugares pra se visitar e ver. Segundo todos que a visitam, é uma São Paulo que funciona, fora aquele sotaque britânico que me encanta demais!
Acho que os 4 dias que ficarei por lá, não serão suficientes para matar minha vontade de Londres, até mesmo porque, destes 4 dias, 2 ficarei praticamente o dia todo dentro do ginásio acompanhando os jogos, saindo de lá somente durante a noite e talvez um PUB com meus amigos brasileiros que já estão por lá.

Programei este post para cair em uma sexta-feira, porque não estarei em casa e não estarei usando a internet durante esses dias. Quero relaxar, descansar e aproveitar aquele lugar! Cada minuto é precioso por lá.
E também, programei este post neste dia, porque queria deixar aqui o meu parabéns pelos 31 anos do Dr. Foxx. Gostaria de dizer que estou eu aqui, não comemorando de corpo presente com você, mas estou por aqui do outro lado bebendo uma boa Pint em sua homenagem, desejando tudo do bom e do melhor no seu dia e toda a felicidade do mundo que você merece, pois sei que é merecedor sim!

Grande abraco a todos e um especial pro Dr Foxx!
Parabéns meu querido, and Let's Have a Kiki!
Du Paiva

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Viajando pela Irlanda: Galway e Cliffs [ Parte II de III ]

PUB no centro de Galway
Levantamos da mesa e as meninas resolveram voltar ao hostel e descansar para o dia seguinte, mas eu e meu amigo, queríamos muito ir a algum lugar. Estávamos muito afim de balada GLS naquele dia, pois andando pela cidade durante o dia e vendo as pessoas na rua durante a noite, percebemos o quão lindas, são as pessoas daquele lugar. Mas muito lindas mesmo!
Através de alguns contatos com nativos de Galway através de um aplicativo do celular, descobrimos que não havia balada GLS naquele lugar, pois havia sido fechada já a algum tempo, e o que restava, era um PUB alternativo, mas não estávamos em clima de PUB.
Festa com cara de baile de formatura
Então, nossa amiga irlandesa, nos convidou para uma festa onde foi organizada pelos artistas do evento de domingo. É claro que aceitamos na hora!
Caminhamos cerca de 20 minutos e chegamos ao local, já era 00:30. Então nossa amiga conseguiu nos colocar dentro da festa, já que era particular e fomos conhecer o ambiente.
Parecia mais, uma festa de formatura, mas com pessoas mais velhas, umas pessoas diferentes... não sei exatamente como descrever este diferente.
Pegamos nossas bebidas e fomos para a pista de dança, curtir o som e aproveitar o pouco que nos restava da noite. Flertamos com um cara de jaqueta de couro marrom, que desde o momento que entramos na festa, não parava de nos encarar e nos comer com os olhos, mas acabou não dando em nada, já que aquele não era um ambiente propício para se flertar e tomar alguma atitude com o cara, mas ficamos esperando alguma atitude dele, o que você NUNCA deve esperar das pessoas daqui, pois elas quase nunca tem!

Exatamente as 02:30 da madrugada, o som parou, as pessoas começaram a sair da pista e ir embora. Então, meu amigo e eu, fomos levar nossa amiga irlandesa até sua casa e logo combinamos de nos encontrarmos novamente em Agosto. Ela pediu que voltássemos nessa época porque estaria trabalhando menos e poderíamos aproveitar mais o dia de Galway e a noite com seus amigos.
Depois de nos despedirmos, fomos embora para o hostel descansar, pois no outro dia, precisaríamos acordar cedo para visitar Aran islands.

Sim, fiquei mareado, rs!
Acordamos ás 8 da manha, trocamos de roupa, corremos comprar algumas coisas para comermos pelo caminho e ás 9 da manha, embarcamos em um ônibus para uma viagem de 1 hora, até o outro lado da costa de Galway, de onde partiria o barco para a ilha.
Não sei se já cheguei a comentar por aqui, mas apesar de adorar andar de barco, eu SEMPRE fico mareado, então procuro sempre estar andando dentro da embarcação para poder disfarçar um pouco, bebendo água e trabalhando muito bem a respiração. Bem, a ida a ilha, demoraria cerca de 45 minutos, então tinha muito que trabalhar por lá, rs.
Os 15 primeiros minutos foram uma maravilha, pois andei bastante por lá, bati algumas fotos com meus amigos e ficamos rindo um pouco, mas logo o barco aumentou a velocidade e não consegui resistir. Fiquei 30 minutos trancado dentro do banheiro conversando com o vaso sanitário e logo que senti a brusca redução de velocidade, fiquei melhor e sai logo do banheiro e parti para a terra firme.

Me sentindo bem melhor já, andamos um pouco até a entrada da ilha, onde haviam alguns restaurantes, lojas de lembranças da ilha, centro de informações, bicicletas para aluguel e passeios de van. Queríamos muito ir de bicicleta, mas ventava muito aquele dia na ilha, o tempo estava completamente nublado e seu amigo aqui que vos escreve, foi capaz de esquecer uma blusa em cima do sofá de casa, antes de embarcar para Galway, ou seja, eu estava somente de camiseta, rs.
Não estava frio, mas se eu ficasse parado com o vento que estava, provavelmente eu iria começar a sentir frio, então, nossa opção foi comprar um passeio de van pela ilha.
Família de Focas
A estrada era minúscula cabendo exatamente 2 carros, um em cada sentido e passamos por vários vilarejos com muito poucas casas, passamos também por 1 única escola que existem por lá, uma única agencia bancária, um único pronto-socorro e um único supermercado local. Segundo o guia, moram um pouco mais de 800 pessoas na ilha.
Paramos em um pedaço da costa onde pudemos ver uma família de focas e depois fomos para o último vilarejo da ilha, onde almoçaríamos e partiríamos andando para os Cliffs.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

The ending of a Heartsick...

Um texto em branco, preencheria perfeitamente o espaço vazio que me racha ao meio.
Hoje, dia 01 de agosto de 2012, é um dia pra se lembrar, ou esquecer... não sei ao certo.
Uma boa caminhada na madrugada, até o dia voltar a ser noite, até meu eu lembrar de ser eu mesmo, e mais ninguém...

Todos, sintam-se abraçados por mim esta noite,
porque eu mesmo, nao me lembro mais o que é isso.

Du Paiva.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Viajando pela Irlanda: Galway e Cliffs [ Parte I de III ]

Praça central de Galway
Quando eu finalmente decidi fazer o intercâmbio aqui na Irlanda, pensei nas possibilidades de poder viajar facilmente pelo continente todo, financeiramente falando. Já tenho vários países e pontos na qual tenho a intenção de conhecer, mas antes de tudo, queria muito conhecer um lugar maravilhoso por aqui mesmo, onde eu sempre via fotos de pessoas por lá e sempre achei maravilhoso.
São os famosos Cliffs of Moher.

Em Janeiro deste ano, conheci 2 irlandesas na viagem que fiz com meus amigos de SP, para passar o ano novo no RJ. Acabamos ficando bem próximos, principalmente quando disse que iria morar por lá e desde então, mantivemos bastante contato, e desde que cheguei por aqui, conversamos algumas vezes pela internet, mas nunca conseguimos realmente nos encontrarmos.
Foi então, quando recebi um convite na semana passada de uma amiga, para irmos fazer um passeio pela cidade de Galway, que fica a 2 horas de ônibus saindo de Dublin.
Aceitei na hora, pois finalmente poderia encontrar minha amiga irlandesa e poderia finalmente conhecer os famosos Cliffs of Moher, que também fica a 2 horas de ônibus saindo de Galway.
Meus flatmates resolveram ir também, então reservamos um hostel na cidade e no sábado de manha, pegamos o primeiro ônibus para Galway.

Chegando na cidade, já compramos nosso passeio para os Cliffs of Moher naquele mesmo dia e compramos também um passeio para Aran Islands, que são 3 ilhas que ficam na costa de Galway.

Cliffs of Moher
As meninas já haviam feito esse passeio anteriormente, então, resolveram ficar no hostel conhecendo as pessoas e andando pela cidade toda, enquanto eu e meu roomate, fomos para os Cliffs of Moher.
Confesso que cochilei por várias partes do passeio, pois estava muito cansado da noite anterior e havia apenas cochilado, mas o mais importante mesmo, era a visita para os Cliffs.
Chegamos lá e vimos uma multidão de pessoas no caminho para o lugar, e a adrenalina, logo começou a tomar conta de mim.
Cliffs of Moher
Quando olhei pela primeira vez por todo aquele paredão e o mar quebrando suas ondas nelas, foi uma sensação irritantemente maravilhosa de se sentir. Você fica apreensivo por estar literalmente a um passo do penhasco e de morrer, mas com toda a adrenalina correndo nas veias, você não se controla, e quer chegar a beira, olhar lá pra baixo, sentar na beira e sentir o vento, o cheiro da maresia...
Sentei a beira do penhasco, respirei fundo, olhei lá pra baixo, bati algumas fotos e fiquei por uns 10 minutos lá, sentado, observando tudo, detalhe por detalhe, fazendo de tudo para nunca mais esquecer aquele lugar. O clima também ajudou muito, pois estava parcialmente nublado, sem vento forte e um calor de 20 graus. Eu e meu amigo, andamos por lá por algum tempo, batemos muitas fotos e depois de 2 horas, voltamos para o ônibus onde nos deixaria na rodoviária de Galway.

Na volta, entramos em contato com as meninas e ao invés de almoçarmos fora, resolvemos fazer um almoço no hostel onde estávamos hospedados, assim, poderíamos conhecer as outras pessoas que estavam por lá também e ainda, pegar alguma dica de algo para fazer na noite de lá.
Os estrangeiros que estavam por lá, não foram muito amigáveis no começo, mas com a noite chegando, começaram a beber e começaram a conversar mais conosco.
Baladas mesmo, não havia por ali, mas no centro, haviam vários Pubs, onde pode-se beber na rua, diferente daqui de Dublin onde a garda chega a tomar a bebida da sua mão e jogar no chão.

Cliffs of Moher
Então, conseguimos entrar em contato com minha amiga irlandesa e nos encontramos na porta de nosso hostel ás 11 da noite.
Fomos para um PUB na avenida principal da cidade e ficamos em uma grande mesa, conversando e rindo muito, contando o que fizemos após nosso ultimo encontro e também ela nos apresentou a seus amigos que por ali estavam. Ela também disse que no domingo haveria uma feira de arte muito famosa e bacana na cidade, onde estávamos convidados a ir com ela (minha amiga é artista plástica na cidade).
As meninas voltaram para dormir no hostel, pois no outro dia iriamos acordar cedo para ir a ilha, mas eu e meu amigo, queríamos ir a alguma balada. Então nossa amiga irlandesa, nos convidou para ir a uma festa dos artistas que estavam participando da feira. Eu e meu amigo, aceitamos o convite e fomos com ela até lá...

terça-feira, 17 de julho de 2012

Um adjetivo? Incisivo...

Nas últimas semanas, tenho estado um pouco fora do meu normal.
Tenho saído para festas e baladas excessivamente e acreditem, começa na noite de quinta-feira, terminando a maratona somente na madrugada de domingo para segunda-feira. E acreditem, poderia ir a semana inteira se não fosse pela falta de dinheiro.
Isso tudo que tem acontecido comigo tem nome, e também tem endereço. Eu e o cara do Brasil, literalmente nos afastamos nas ultimas semanas. Sei exatamente de seus compromissos profissionais e que ocupa muito de seu tempo, mas chegou a um ponto onde eu não sabia mais o que pensar sobre toda a nossa enrolação história. Um desespero por me livrar de tudo isso que sinto, me tomou conta e me deixei mais aberto a outras situações, outras oportunidades.

Meus últimos dias foram atordoantes, pois eu o encontrava sempre online, através do MSN/Facebook/Skype/Whatsapp, mas não trocávamos uma só palavra, literalmente, acabaram-se todas mensagens de "Bom dia! Boa Noite! Beijos e blábláblá...". Eu ficava completamente agoniado, esperando um sinal de vida dele, mas nada. Então, a distancia literalmente cresceu e apesar do meu não querer, respeitei e fui seguindo em frente. Somente na semana retrasada ele acabou quebrando um pouco o gelo, e quis saber se eu estava bem, pois viu alguns posts muito reflexivos que fiz em meu mural no Facebook.
Conversei com ele cerca de 5 minutos, sem todo o entusiasmo que tínhamos antes e encerramos o papo sem nos despedirmos, simplesmente o papo acabou e ficamos mudos, até que eu sai, sem um tchau.


Um pouco contra minha própria vontade e desejo, me permiti a conhecer pessoas pela cidade e a marcar encontros. Teve aqueles que nem bem ao conversar, já queriam sexo, houveram aqueles que conversamos por horas, aqueles só pra beijar na balada, aquele também do famoso encontro no escurinho do cinema, um almoço, café da tarde e etc... (confesso que estou com o ego no topo do mundo, rs!)
Mas, sinceramente? Não estou feliz com isso! NUNCA fui assim e provavelmente não será agora que serei.

Nesta madrugada de terça-feira para quarta-feira, após conversar com minha mãe pelo Skype, fui surpreendido por uma mensagem dele no MSN. Começamos a conversar e deu pra perceber que o papo foi fluindo um pouco que arrastado. Foi então, que a conversa tomou um outro rumo e acabou me confessando que não estava muito bem por alguns motivos pessoais.
Acabamos conversando muito, eu aconselhando e ele na defensiva, arrumando desculpas para todas as questões que eu lançava, até que em um momento ele não conseguiu se esquivar e acabou ficando encurralado. Foi quando ele me disse:
"Estou com muito medo! Voce está muito incisivo!
Será que eu consigo? Será que eu supero?" - minha resposta foi simples

"Me desculpe se enfatizo e questiono demais,
mas isso tem de partir de você!
Voc
ê quer conseguir? Você quer superar?" - sua única resposta foi: "rs"

Pode parecer uma coisa boba e sem nexo algum, mas com todo o contexto da conversa, faz muito mais que sentido. Ele depois disso, acabou desconversando sobre uma noticia que acabara de ver no Jornal Nacional e então disse que iria jantar e já retornaria para retomarmos a conversa.
Durante este tempo, me lembrei de várias situações nossas e várias conversas e coisas ditas que ficavam nas entrelinhas e então, resolvi dar meu xeque-mate.
Me lembrei de uma música que gosto muito e que caberia perfeitamente para todo nosso histórico e principalmente pela conversa do dia. Escrevi a seguinte mensagem:

"Me desculpe se pareci ser um pouco agressivo ou até mesmo incisivo, como você mesmo disse acima, mas queria dizer que gosto muito de você e que te ver deste jeito, me faz muito mal.
Já te falei diversas vezes que a música me ajuda muito, então, gostaria de lhe oferecer esta.
Tem uma letra bem forte e profunda! Espero realmente que você goste!
...aliás, se lembra daquela musica que você me enviou e eu não sabia o que lhe responder?
Então, aqui está a minha resposta... espero que goste!"


Cerca de alguns minutos depois, me chega sua resposta:
Ursinho dodói
"Você acaba de me fazer chorar! Muito obrigado de coração!
Você é um cara muito sensível e soube responder minha musica com maestria! Saiba que quando eu estou muito mal, eu olho pro ursinho que você me enviou e ele me dá uma sensação de conforto, porque ele representa que, sempre vai existir alguém pra curar todas as nossas feridas! Muito obrigado, mesmo!"

Já era um pouco tarde, então me despedi e disse que eu sempre estaria aqui para o que ele precisasse.
Ele agradeceu novamente, nos despedimos e me desconectei.
Não sei dizer exatamente o que estou sentindo... mas minha noite está melhor, estou com o coração apertado e sou um bunda mole... rs.

domingo, 8 de julho de 2012

Du Paiva Hackeado...

Olá leitores de Eduardo Outtakes!
Aqui quem escreve, é 1/2 de uma Absolut!
Finalmente, tomei conta de Du Paiva, ele não "resistiu"!

Devo confessar que ele tenta ser um cara durão, mas de durão, ele não tem nada! Coração mole, coitado! Sempre tento fazê-lo se abrir, mas ele resiste! Hoje, pensei que conseguiria fazê-lo perder a noção das coisas, mas o FDP resiste, fica mantendo a meta que prega!
Tantos caras que faço parecer interessantes, mas ele nem olha pros lados... existe alguém assim de verdade? Algumas poucas vezes consigo fazê-lo aproveitar a noite com alguém ou mandar alguma mensagem pelo celular... HAHAHAHAHAHAHA, sempre muito divertido (mas ele não gosta, coitado)!!!

Seu roomate, conseguiu algo para a noite, enquanto ele voltou para casa caminhando sozinho, sem ninguém o acompanhando. Sempre fico o atentando, mas ele não atende o chamado... #comofás?
Fico sem saber o que fazer com ele... Whatsapp e Grindr, ele nem atende mais...

Du Paiva é anormal, já cheguei a essa conclusão!
Hoje tive provas mais que suficientes... Mas eu sou destilada e não desisto NUNCA!

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Speechless...

Olá leitores!

Sei que não sou muito de postar vídeos e canções, mas esta semana tem sido um pouco difícil e a musica como sempre, tem me influenciado demais. Sinta falta de tanta gente, tantas coisas, inclusive da minha péssima rotina.
Eu sinceramente não estou bem para escrever, mas estas músicas, literalmente, falam por mim, hoje...

A primeira música chama-se:  
                                                         Home - Michael Bublé



A segunda música, eu já conhecia outras versões, mas esta simplesmente me encantou, e ela tem mexido demais comigo de uns dias pra cá:
                                      First Time (Ever I Saw Your Face) - Matt Cardle


E para finalizar, uma musica que me da um nó no cérebro:
                                                      Amplidão - Elba Ramalho

Grande abraço a todos,
Du Paiva.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Fechando a mala (de vez)...

Em minha ultima semana no Brasil, tratei de fazer/comer varias coisas que sabia que não encontraria por aqui. Comecei a me despedir das pessoas que dificilmente tenho contato, cancelei tudo que havia em meu nome no Brasil, fechei todas as contas nos bancos, cartões de crédito e qualquer coisa que poderia me causar problemas enquanto estivesse viajando.
Fiz uma procuração global em nome de minha mãe, caso eu precisasse resolver alguma coisa por aqui, inclusive, tive de fazer uma especial para um amigo que mora em SP, para que ele pudesse retirar meus ingressos das Olimpíadas de Londres em meu lugar.

Após todas essas pendencias resolvidas, fui ao meu guarda-roupa e retirei tudo que havia nele.
Separei em 2 montes: Roupas para lavar (no caso, as que traria para cá) e roupas para doação.
Fui separando tudo que traria, comprei cigarros para vender, sucos em pó e Trident para meus amigos e eu. Aqui não tem nada disso, e quando achamos, é extremamente caro!

Retirando tudo o que havia no meu guarda-roupa, acabei me deparando com varias cartas e presentes que ganhei do digníssimo ex e varias coisas que escrevi para ele. Me lembrei de quando namorávamos, cheguei a comentar com ele que eu tinha um sonho de fazer intercâmbio algum dia e ele foi totalmente contra, dizendo que nunca iria me deixar fazer isso, pois não queria se separar de mim por tanto tempo. Ele ate escreveu um poema bem triste sobre isso, certa vez.
Mas enfim, apesar de ter sido tudo muito bom, joguei fora tudo e deixei meu guarda-roupas limpo, pronto para ser aproveitado por alguém.

Que ironia do destino, ou não, no meu ultimo fim de semana no Brasil, depois de alguns anos, recebi um e-mail do digníssimo. Um longo e extenso e-mail, me contando as novidades em sua vida, sobre o projeto que ele tinha quando namorávamos, e com o sucesso do mesmo, ele estava com um outro projeto em mente, e queria saber se eu não me importaria em ajudá-lo, com uma autorização. Ele queria informar e perguntar se eu não me importaria que ele usasse meu primeiro nome, como tema de seu projeto.
Depois, me contou que ficou sabendo que eu estava de partida através de nossos amigos em comum, e me felicitou pela conquista.

Toda aquela informação, caiu como uma bomba pra mim. Eu fiquei com o coração apertado, me senti deslocado e não sabia simplesmente no que pensar, inclusive ate havia decidido a não responder o e-mail e deixar tudo como estava.
Fui para SP me despedir dos amigos, curtir uma ultima balada com eles na sexta a noite e logo voltar para minha cidade no sábado, para a despedida com minha família.
Aquele e-mail, me corroeu o fim de semana todo, então, na segunda pela manhã, o respondi.
Disse que não iria responder o e-mail, mas acabei fazendo pois não era de mim ser assim. Disse que fiquei muito feliz pelos resultados de seu trabalho, que fiquei muito feliz pelos seus projetos e que eu não tinha o menor direito de proibi-lo de usar nada, que ele poderia fazer como fosse melhor a ele. Agradeci suas felicitações e me despedi cordialmente.

Na terça pela manhã, havia uma sua resposta.
Agradeceu as minhas palavras, que ficou feliz por eu não ter me importado de usar meu nome e disse que pelo meu e-mail, sentiu pelo meu e-mail, que nossa situação infelizmente era irreversível, que nem amigos poderíamos ser, pois havia muita coisa guardada ainda. (infelizmente, concordo com ele)
E para se despedir (e me quebrar no meio), ele terminou dizendo:
"Eu gostaria que você soubesse que você SEMPRE mas SEMPRE, será meu [adjetivo particular]!
Não haverá outro!
Tudo de muito do melhor para você!
Bjs... [digníssimo ex.]"

Neste mesmo dia, embalei tudo, dobrei e guardei todas as minhas roupas na mala, todos os meus pertences já estavam prontos para seguirem comigo e o que ficou, não estará mais la quando eu voltar... A vida segue, tem de seguir!

Grande abraço a todos,
Du Paiva.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Peculiaridades Dublinísticas...

Hoje, dia 21 de Junho, começou oficialmente o verão europeu, mas todo esse clima aqui, me parece muito com o outono do Brasil. Exceto pelo fato de que em plena 4:30 da madrugada, já esta dia, escurecendo totalmente ás 22:30 da noite.
Os irlandeses, turistas, intercambistas e afins, adoram aproveitar este clima, com as temperaturas chegando na máxima de 22 graus durante o dia e 8 graus durante a noite.
Stephen's Green Park
Os parques de Dublin, estão sempre cheios, vários grupos de amigos e namorados deitados na grama, comendo um lanche, tocando violão, rindo, mas acima de tudo, aproveitando o sol, quando ele resolve aparecer.
Sempre em uma conversa com um irlandês, a primeira coisa que eles falam quando digo que sou brasileiro, é: "Oh! Provavelmente você sente falta do sol, não é?" - e sim, minha resposta é sempre, sim!
Aqui a chuva é garantida! Tem dias, que ao sair na rua em dias chuvosos, é comum encontrar vários guarda-chuvas jogados pelas ruas, destruídos pelo vento forte. Quando se sai de casa, você tem de estar preparado para o frio, chuva, vento e agora que chegou o verão, o calor. O tempo muda em um piscar de olhos.

Nestes parques, facilmente você encontra lugares para descansar e relaxar ao sol, junto a outros grupos de pessoas. Mas tem outro grupo de pessoas aqui, que todos tomam muito cuidado, principalmente os estrangeiros.
Knackers (Nanás)
Aqui não existe favela, e gente "pobre", mas existem os famosos Knackers (Náquers). Já ouviram falar? Eles são uma minoria aqui na Irlanda, irlandeses que quando desempregados, recebem uma ajuda de custo do governo. São drogados, desesperados por bebida alcoólica, arruaceiros que andam em bandos, vivem pedindo esmola na rua para se drogarem, jogam tomates e ovos nas pessoas e vivem falando palavrões em alto e bom som!
Geralmente, é fácil identificá-los. Típico rosto irlandês, dentes podres, tem as costas das mãos roxas por usarem heroína, usam abrigos da Nike e Mizuno (sempre novo, diga-se de passagem) e perambulam por aí mendigando moedas.
Todos sempre tomam cuidado pois já ocorreram vários assaltos e brigas nas ruas com os Knackers.

Garda
Aqui, nos sentimos muito tranquilos e confiantes ao andar na rua sozinhos, seja a hora que for, usando a marca de roupa e acessório que for, você sempre se sente seguro e tranquilo, mas sempre de olhos abertos em caso de se deparar com um dos Nanás (forma que os brasileiros encontraram de falar deles perto dos irlandeses e outras pessoas, pois este termo, não é bem visto por aqui).

O que nos deixa mais seguros e confiantes em andar por aqui, é saber que "não existe" arma de fogo em Dublin. Inclusive a polícia daqui chamada Garda, utiliza somente um cassetete pequeno para fazer rondas e abordagens. A Garda, não faz diferença nenhuma neste lugar, pois nas abordagens, as pessoas saem correndo, ou caso você seja assaltado, eles demoram para chegar, escutam você e nem ao menos um boletim de ocorrência é feito. Estão aqui somente para tentar manter a ordem do lugar, o que em sua grande maioria é fácil conseguir pela cultura e calmaria do lugar.

Grande abraço a todos,
Du Paiva.

terça-feira, 12 de junho de 2012

O Primeiro Dia dos Namorados...

Finalmente, dia dos namorados! Mas o que eu tenho com isso?
Sinceramente, não tenho nenhuma recordação de passar esta data com alguém especial. Fincando com alguém, provavelmente já, mas não namorando. Incluindo com meu ultimo namoro, onde a data de nosso período juntos, acabou não coincidindo com o dia.
Na ultima sexta-feira, acabei fazendo algo por impulso. Entrei na internet, busquei por uma floricultura online e acabei comprando um presente para o cara que estou gostando. Comprei um buque de rosas colombianas vermelhas! Pensei em adicionar um chocolate, um espumante ou um bom vinho, mas nada me agradou ou achei que ele não iria gostar. Foi então que vi um urso de pelúcia todo enfaixado, como se estivesse machucado e em sua descrição, estava como "Urso Dodói". Não pensei 2 vezes e já adicionei para ser entregue junto com o buque, e junto com eles, um cartão simples, sem nada escrito, apenas um espaço reservado para eu escrever algo.
Não sabia exatamente o que escrever, sou péssimo com essas coisas e sempre fico mudando tudo o que eu escrevo, pois quero escrever algo impactante, então, lembrei de algumas outras situações em que conversávamos então, escrevi um trecho de uma musica de escutávamos juntos e no fim deixei um recado mais ou menos assim:

"... [trecho da musica]
  ... Mesmo com um oceano entre nos, estou aqui!
 Cuide bem do urso, olhe como ele esta machucado...
 Beijos no coração!"

Então, sem pensar muito, pois poderia mudar tudo de novo, mandei entregar no dia 12, dia dos namorados. No domingo, já fiquei apreensivo e me arrependi um pouco do que fiz. Não sabia qual seria sua reação e inclusive, tentei cancelar a venda mas não obtive sucesso.
Conversei com um grande amigo meu pelo MSN e ele me acalmou um pouco, me confortou, então decidi relaxar e esperar chegar a data.

Troquei umas palavras com ele através de mensagem no celular durante a tarde de domingo e depois ele não me respondeu mais. Por uns dias, ele tem ficado mais calado e temos conversado menos. Ele tem seus problemas profissionais para resolver e entendo quando ele esta assim, então, durante a noite mandei o meu rotineiro "Boa noite, gato! Bom descanso!", mas ele não respondeu.
Acordei no outro dia de manhã para ir a escola, mas acabei ficando com preguiça, então fui tomar meu café e mandar uma mensagem para um amigo ir na academia comigo. Quando voltei ao quarto com meu café, tinha acabado de receber uma mensagem dele. "Bom dia meu gato, hora de acordar e ir para a escola!"
Começamos a conversar e ele me disse que a tarde no dia anterior, ele foi viajar as pressas para a cidade vizinha, pois um parente dele havia falecido. Ficaria por lá até a tarde de ontem, não iria trabalhar para poder descansar, pois estava a mais de 24 horas acordado. Conversamos mais uns minutos e nos despedimos.

Quando chegou a noite, recebi uma mensagem dele no celular "Oi! Ta em casa? Entra no Skype!"
Respondi e entrei no skype para ver o que ele queria.
Ele me contou como foi o restante de seu dia e por fim ele disse:
"E então? Você esta aqui para mim?" - Fiquei meio que sem saber o que dizer e sem entender, então ele me disse.
"Eu simplesmente adorei o presente, tá?" - Fiquei muito surpreso, porque não era a data para o presente ter sido entregue!
"Eu adorei as rosas, elas são lindas! O urso eu amei, porque nunca ganhei! Mas o cartão, foi a coisa mais linda que eu já recebi!"
Expliquei para ele como foi toda a historia do presente, que não era pra ter sido entregue naquele dia e que não imaginava como seria sua reação! Ele me contou que não poderia ter sido melhor, pois não imaginava que eu poderia ter mandado algo para ele e me contou como foi a reação quando viu o presente, pois ele estava com a mãe junto e ficou com vergonha de abrir pois viu que era de uma floricultura e imaginou que seria algo com relação a mim.

Conversamos pelo Skype por uns minutos, e nos despedimos pois ele precisava urgentemente dormir, não estava em condições de ficar ali conversando.

Depois que ele foi dormir, me senti extremamente bem! Me senti relaxado, com um sentimento de trabalho feito! Não imaginei que ele gostaria tanto do presente e que ele me diria coisas tão bacanas. Uma grande pena, ter sido em um momento não muito bom para ele, porque ele estava muito cansado pra ficar ali conversando e por ter perdido um parente a pouco tempo.
Estamos nos dando muito bem, nos entendendo mais ainda, mas tem dias que bate uma coisa ruim, me vem uns pensamentos não muito bons que acabam me deixando pra baixo. Como disse em outro post, não estamos namorando ou nada declaradamente, mas sempre fica algo nas entrelinhas, algo que deixa aquela duvida na cabeça sobre no que vai dar toda essa historia.
Eu estou confiante e acredito que se sobrevivermos a imensidão deste mar que nos separa, um bom capitulo e uma boa historia esta para ser escrita aqui no blog...

Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva.

sábado, 9 de junho de 2012

Noitada Dublinense...

E esse verão maravilhoso da Europa? rs.
Pelo menos, nesta minha região que estou habitando, não tem nada de maravilhoso (digo com relação ao tempo)!
Quando cheguei aqui, estava começando o verão europeu e a temperatura não estava tao baixa como costuma ser. Durante o dia, em torno dos 10 graus e em torno dos 5, durante a noite.
Para mim, o problema nem é a temperatura ser assim tao baixa, mas sim o tempo ruim. Aqui quase sempre esta nublado, venta muito e a garoa é certa em quase todos os dias.
Minha adaptação com o clima da Irlanda, não esta tao ruim quanto achei que seria. Mas por fim, semana passada, acabei ficando 4 dias de cama. Peguei uma gripe muito forte, me impossibilitando de colocar os pés na rua, mesmo para ir a escola, comprar algo ou apenas caminhar pelos parques da cidade. Mas melhorei antes do fim de semana, podendo assim, aproveitar as noitadas de Dublin.
Ja fui nas 3 boates que existem aqui e em suas diferentes noites ao longo do fim de semana.

A primeira foi a boate THE DRAGON.
Uma das preferidas dos estrangeiros, não sei o motivo, mas as pessoas adoram aquele lugar.
Musica péssima, algumas pessoas bonitas, poucas mulheres e bebida muito boa.
Na quinta-feira é o melhor dia, pois a pint de custa 3€uros a noite toda, tequila custa 2€uros a dose e a vodka com energético custa 9€uros 2 doses.
Nas sextas, sábados e domingos, a casa fica um pouco vazia e as bebidas mudam de preço a cada hora, chegando, uma pint a custar 7 €uros ate o fim da noite.
Se você chegar ate as 22:30 da noite, não paga para entrar, mas apos este horário, 5 €uros e apos a meia-noite, 8 €uros. Agora você deve estar pensando: "Mas quem chega na balada antes da meia-noite?" Existe um motivo muito forte para isso. Aqui qualquer casa noturna, seja gay ou não, qualquer evento que tenha musica, obrigatoriamente deve ser fechada até as 3:30 da madrugada, ou seja, ás 3 da manha, a musica literalmente para, as luzes acendem e os seguranças começam a pedir que todos se retirem.

Depois conheci a boate WAR.
Festa estranha com gente esquisita! Esta boate, funciona somente nas noites de sexta-feira. As pessoas aqui aparentam ter em torno de 15/16 anos! Publico bem diversificado.
E os que são ou aparentam ser mais velhos, são completamente psicodélicos. Todos esquisitos demais, e sempre tem uma temática diferente a cada sexta. Todas as bebidas são baratas, todas em torno dos 5€uros a noite toda. E a musica aqui é EXCELENTE! Se você que sair pra dançar, este é o lugar! Muitos brasileiros vem a esta boate e muitos trabalham aqui também!
Se você vem para caçar algum enrosco, este não é o lugar correto, a não ser que goste daquele tipo, novinho, cara de bebezinho.

E por fim, THE GEORGE.
Casa grande, bebida boa e em torno dos 5€uros a noite toda. Pessoas bonitas e mais velhas. A grande maioria em torno dos 28 aos 40. Tem sim, uns mais novinhos e outros BEM mais velhos.
Aqui, quem toma conta da noite, são as Drag Queens mais engraçadas que eu já vi! Ficam o tempo todo no palco, apresentando as diversas atracoes de cada diferente noite.
Nas sextas, as drags performam, cerca de 15 musicas ate a meia-noite. Apos este horário, a pista abre e as pessoas podem ir dançar.
Sábado é noite de Karaokê! As pessoas vão ate o palco, onde são apresentadas pelas drags e cantam cerca de 8 musicas. Quando chega meia-noite, a pista abre e as pessoas vão dançar.
Domingo é noite de bingo! As drags performam cerca de 8 musicas, apos isso, tem um único bingo com prêmios que variam de combos de bebidas, ate prêmios de 800€uros.
Para conseguir uma cartela, você deve pegar uma bebida e pedir pela sua cartela. Esta noite sempre é engraçadíssima e quando da meia-noite, novamente a pista abre e as pessoas vão dançar.

Basicamente, estas são as noites das boates em Dublin.
Obviamente, tem vários outros lugares para se ir, como os famosos pubs, inclusive os pubs que os gays costumam frequentar, mas ainda preferi não ir. Tenho de me segurar um pouco aqui quanto a sair para não gastar toda ela com noitadas. Ainda não estou trabalhando e tenho aluguel, energia, internet e compras do mês para pagar.

Grande abraco a todos!
Obrigado pelos emails, fiquei muito feliz.
Du Paiva.

domingo, 3 de junho de 2012

Eu me rendo...

A vida nos prega pecas que nos marcam demais, não e mesmo?
Aqui, e meu sonho! Onde estou hoje, e resultado de muito trabalho, dedicacao e forca de vontade!
Sempre me achei uma pessoa bem determinada, uma pessoa que apesar das fraquezas que todo ser humano tem, mas sempre me achei muito forte, cabeça boa... hoje, eu não tenho tanta certeza se realmente e isso que penso.

Achei que seria tudo muito mais fácil, ficar longe de família, amigos, de estar longe do meu porto seguro, achei que estaria completamente feliz de todas as abdicacoes que tomei e mantive, mas meu coracao tem estado um pouco aflito de uns tempos para cá.
Todo o deslumbramento que tive nas primeiras semanas, acabaram se esvaindo rapidamente e agora, a saudades e aflicao tem tomado conta de mim varias vezes.

Converso toda semana com os amigos e familiares através do Skype ou por ligacoes telefônicas mesmo, mas a saudade tem me apertado tanto de uns tempos para cá, que tenho chorado muito. Isso não e bom!
Apesar de ter alguns amigos por aqui, mas não e a mesma coisa que estar no seu lugar, com as pessoas que amo... doi demais!
Há algumas semanas, aconteceu algo que tenho evitado desde que optei pelo intercâmbio: Estou envolvido sentimentalmente por alguem.
Estar apaixonado por alguem, não que isso seja uma coisa ruim, muito pelo contrario. Mas a vida realmente adora me pregar pecas e me deixar mais perdido que barata tonta.

Há uns meses atrás, conheci um homem pela internet e nos demos muito bem. Coversavamos bastante sobre tudo, estávamos nos dando super bem, mas devido a sua carreira, ele estava sem muito tempo para a internet, então, acabamos deixando de lado todas as conversas e tudo mais. Infelizmente, nem chegamos a nos conhecer pessoalmente.
Algumas semanas, depois que cheguei em Dublin, voltamos as nossas conversas e ele se mostrou muito surpreso ao saber que eu já estava aqui. Conversamos, todos os dias através do Skype, Facebook, Whatsapp e algumas vezes por ligacoes de celular.

Nos vimos em uma situacao bem complicada e notamos essa ligacao bacana que temos. Estamos meio que namorando a distancia. Nada declarado pra dizer a verdade. Conversamos muito, falamos muito sobre nosso dia, queremos saber sempre como o outro esta, trocamos conselhos e etc.
Mas ficamos naquele dilema de não saber como reagir um com o outro em uma situacao assim, apenas dizemos que esta sendo muito peculiar a forma que estamos nos conhecendo e que se nos conhecêssemos pessoalmente, antes da minha viagem, provavelmente tudo isso teria acabado em uma cama de motel e nada alem disso.

Mas toda essa situacao, me deixa apavorado! Eu sinceramente estou com medo! Estou com medo de me decepcionar, estou com medo dele não estar mais la pra mim quando eu voltar... Não paro de pensar nele um segundo do meu dia! Algumas poucas vezes em que acabei ficando bêbado por aqui, acabava conversando com ele por mensagens no celular ou email e ele sempre acaba meio desconversando e fugindo do assunto. Uma outra vez em que ambos estávamos bêbados, acabei ligando para ele e ele me confessou que tem muito medo que eu não goste dele quando formos nos conhecer.

Sempre vejo reciprocidade da parte dele para comigo, conversamos serio, falamos bobeira, temos brincadeiras carinhosas um com o outro, ele sempre faz questão de conversar comigo e eu o mesmo, sempre mandamos fotos de onde estamos para saber como e o lugar... mas eu sinceramente, não estou confortável com essa situacao. Não estou me sentindo seguro com este sentimento. Eu gosto demais dele e ele sabe disso e eu sei que ele gosta de mim, mas não demonstra tanto quanto eu...
Enfim... só queria desabafar mesmo.

Grande abraco a todos,
Eduardo Paiva.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Choque inicial: Deslumbramento...


Vista do meu quarto no hostel.
Antes de me deitar, olhei do lado de fora da janela, dei um suspiro e pensei com um sorriso no rosto: "Obrigado pela oportunidade meu Deus, não vou decepciona-lo!" e fui me deitar pois já era 22:30.

Acordei, e dei de cara com mais 3 pessoas no quarto. Eram outros brasileiros que iriam dividir o quarto comigo naquela semana, então, tratei de conhece-los, pegar umas dicas e acabamos saindo juntos para tomarmos cafe da manha. Eram 1 casal de namorados e um amigo deles. Fui e já comprei um chip de celular da operadora da região (Vodafone), me cadastrei e já estava acessível para outros celulares entrarem em contato comigo. Chamadas de de Vodafone para Vodafone são grátis, mensagens entre Vodafone também sai de graça, 150Mb de internet grátis, ligacoes para fixo no Brasil sai a 0,08 cents o minuto e celular 0,24 cents. Barato não?

Me deslumbrei com toda a arquitetura do lugar! Pessoas bonitas na rua, extremamente educadas e gentis. Fiquei fascinado com tudo! Aqui, você se serve em uma cafeteria, vai ate o caixa e paga.
Entra de mochila ou sacola no super mercado e quando vai pagar, retira o que comprou, paga e vai embora. Cinema? 11 euros a sessão 3D e você ainda pode levar o óculos embora, e na próxima vez que voltar, pode leva-lo e retirar a taxa do óculos na próxima sessão. Ainda achou caro? Com 20euros por mês debitados da sua conta no banco, você tem acesso a assistir quantos filmes quiser, quantas vezes quiser, todos os dias durante 1 mês. Ate agora eu não acredito!

Ciclovias pela cidade toda e os ciclistas respeitam como se fossem carros. Não atravessam no farol fechado, não andam na contra mão... e você pode alugar bicicletas publicas para se locomover também.
Andando de Luas
10 euros por ano, para utilizar as famosas Dublin bikes, quantas vezes quiser, somente respeitando o limite tempo de 30 minutos a cada retirada de bicicleta da catraca eletrônica, que estão espalhadas pela cidade inteira.

Aqui tudo funciona, tudo da certo, chega a ser inacreditavel! Quando uma coisa destas iria funcionar no Brasil? Comparacoes me vem a cabeça a toda hora por aqui!
Sem falar no trem que corta varias partes da cidade chamado Luas, onde você mesmo retira o ticket em uma maquina na estacao, entra no trem e muitas vezes não e conferida a passagem. Existem aqueles espertinhos que entram e saem sem pagar, mas quando são pegos, levam uma multa no valor de 150 euros. Fora o ônibus que não existe cobrador e você mesmo paga para o motorista somente com moedas e não são conferidos (e também você não recebe troco!).

Entrei em varias lojas de artigos eletrônicos, CDs, DVDs, livros, jogos e etc... Chega a ser absurdo o preço que eles pagam por aqui! Extremamente barato! Mesmo convertendo a moeda em Real, ainda paga-se bem barato! Perfumes? Nem entro na loja mais, porque só passo raiva de tao barato que são as coisas.

O deslumbramento com o lugar e inevitável! A cada lugar que você descobre, que você vai, olha, acaba fazendo milhões de comparacoes com o Brasil e se deslumbrar acaba se tornando impossível! Você olha tudo e quer ficar aqui para sempre!
A única coisa ruim deste lugar que não consigo me acostumar de forma alguma, e o fato de que no mesmo dia, chove, venta, faz sol, fica nublado, raras vezes cai granizo... O tempo por aqui e bem doido.

Isto foi tudo o que senti por aqui na minha primeira semana em Dublin, Deslumbramento!

Me desculpem por haver milhoes de erros ortograficos aqui, mas nao consigo mudar o teclado e estou tentado usar o corretor, sem muito sucesso!
Grande abraco a todos,
Eduardo Paiva.

terça-feira, 22 de maio de 2012

A despedida...

Hoje, completo exatos 1 mes, quatro dias e algumas poucas horas em Dublin, Irlanda.
Minha despedida com o Brasil, foi muito dolorosa. No meu ultimo sabado por la, houve uma festa de despedida a fantasia, tema, anos 80. Eu nao bebia ja fazia 3 meses, entao, resolvi extravasar e aproveitar muito. TODOS os meus familiares estavam la e meus amigos mais intimos.
Quando foi chegando ao final da festa, as pessoas chegavam em mim, e me desejavam muita sorte, e eu, como estava muito bebado, nao parei de chorar 1 minuto. Mas enfim, achava que estava tudo certo.

A semana foi passando, fui me despedindo das pessoas durante a semana, fiz minha ultima partida no volei, fui jantar com os amigos da fabrica, meus amigos da academia, das lojas no centro da cidade e etc. Na quarta-feira, dia 18 de abril, procurei me desligar do mundo, mas nao adiantou muito.
As pessoas iam em minha casa se despedir, alguns ligaram e no fim das contas, meus familiares todos foram tomar cafe em casa. Cada um trouxe algo que eu gostava de comer.
Quando chegou as 18 horas, era hora de pegar o onibus e ir para o aeroporto. Todos queriam me levar ate Guarulhos e esperar meu voo, mas eu nao estava preparado psicologicamente pra isso, entao preferi ir de onibus, entao, novamente me despedi de todos.
Em toda a minha vida, eu so presenciei meu pai chorar 2 vezes: A primeira, foi com a morte de seu pai e a segunda vez, foi neste dia, ao se despedir de mim. Nao aguentei e chorei muito!
Foi o abraco mais dificil que ja dei e o mais sincero de toda a minha vida...

Fomos eu e mais alguns familiares e amigos ate a rodoviaria para pegar o voo, e na despedida, antes de entrar no onibus, mais choro! Todos disseram coisas muito bacanas para mim, nao havia como nao chorar, mas tratei de entrar logo no onibus e acabar logo com esse sofrimento.

Minha ida ate Guarulhos foi bem tranquila. Dormi o caminho todo, e quando cheguei a Guarulhos, fui despachar minha mala e tratar de me acomodar em algum lugar.
Eu estava exausto! Nao conseguia pensar em nada, apenas que faltavam algumas poucas horas para minha vida mudar completamente.

As 23:40, horario de Brasilia, meu aviao decolou e seguiu sentido a Londres, onde eu faria a escala para Dublin. Foram exaustivas 14 horas de voo, ate que pousamos no aeroporto de Heathrow.
Passei pela imigracao e tinha de esperar mais algumas horas, ate poder pegar outro voo para Dublin.
Novamente, embarquei sentido a Dublin e cheguei aqui, por volta das 20 horas.
Na porta do aeroporto, ja havia uma pessoa me esperando para me levar direto ao hostel, onde eu passaria 1 semana.

Fiquei completamente perdido com a rodovia, as estradas e principalmente pelo fato da mao onde se dirige, ser tudo ao contrario do que estamos acostumados. Conversei bastante com o rapaz do transfer, para pegar algumas dicas pela redondeza e tambem prestei muita atencao no transito, pois queria demais dirigir ali, rs.

Chegando no Hostel, entrei no Skype, para dar sinal de vida para meus familiares e fui dar uma volta por perto para conhecer o lugar. Achei um Mc Donalds bem proximo de onde estava, entao comi um lanche e voltei para o hostel para dormir... nao estava aguentando ficar de olhos abertos, precisava dormir urgente.

Que saudades de todos voces, leitores!!!
Minha vida entrou nos eixos somente hoje, entao agora terei um pouco mais de tempo para postar um pouco sobre o que anda acontecendo comigo por aqui.
Me desculpem tambem pela falta de acentuacao, mas os teclados aqui nao tem cedilha, ~, ` e etc...
Espero poder resolver isso logo...
Esta semana ainda, termino este post e coloco algumas fotos da regiao!

Grande abraco a todos, fiquem com Deus
e obrigado pelas mensagens e emails.
Eduardo Paiva.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Notícias: Parte II de II

É meus amigos leitores, chegou a hora.

Desde o dia 22 de Março de 2012, já não consigo dormir direito, acordo várias vezes durante a madrugada e meu dia tem corrido muito! Ainda tenho algumas pendências particulares que não posso deixar para trás, preciso resolver todas antes de viajar, mas graças a Deus, tudo tem corrido como esperado.
Meus parentes querem estar mais próximos, meus amigos me ligam e mandam mensagem sempre, me chamam para sair todos os fins de semana, mas não estou tendo condições financeiras para bancar tudo isso. Infelizmente não poderei ir ao RJ me despedir pessoalmente de todos os meus amigos cariocas.

Este fim de semana, vou visitar e me despedir dos meus amigos que moram em SP. Infelizmente nem todos estarão por lá, mas ainda sim, poderei dizer um 'até breve' a alguns deles.

Esta semana está sendo extremamente difícil para mim. Agora que falta apenas 7 dias para a viagem, minha ficha caiu! Acordei chorando, vejo fotos e meu olho já começa a marejar, meus amigos começam a me falar coisas e eu fico com os olhos cheios d'água. Estou procurando passar o maior tempo possível com todos eles, mas a cada dia que passa, fica mais difícil! A ficha caiu, estou de partida, minhas pernas estão literalmente, tremendo. Consegui abortar a missão dos meus familiares de me levarem para o aeroporto para a despedida final. Eu não iria conseguir. Irei sozinho, como sempre me senti mais confortável.

Uma ultima coisa que queria dizer:
Infelizmente, as coisas estão extremamente corridas por aqui e sinceramente, não sei como será minha vida por la. Então, veio através deste post, informar que provavelmente não retornarei a vida de blogueiro.
Deixarei este espaço aqui aberto, para aqueles que quiserem ainda ler sobre as coisas que escrevi, ou quem sabe um dia, eu retorne com os meus posts. Nunca se sabe o dia de amanhã, mas a decisão já está tomada.
No dia da viagem, pretendo vir aqui, e postar o meu, "até breve, amigos!".

Meu email, continuará ativada, portando, quando eu puder, entrarei em contato com aqueles que entrarem em contato comigo, inclusive pelo MSN.

Um grande abraço a todos,
sentirei muita falta de tudo isso, aqui!
Eduardo Paiva.

terça-feira, 20 de março de 2012

Notícias: Parte I de II...

Olá leitores! Quanto tempo não entramos em contato, não é mesmo?!
Sinceramente, tive muitas saudades de estar aqui no meio... já disse isso diversas vezes mas repito: Este espaço aqui é muito especial. Me faz muito bem!
Venho aqui parar dar algumas notícias sobre meu paradeiro e fazer um pronunciamento!

Depois de fazer a melhor viagem da minha vida, de ano novo no Rio de Janeiro, aconteceram muitas coisas por em minha vida.
Dia 13/01/12, finalmente consegui minha tão sonhada demissão do trabalho.
Logo em seguida, aconteceu o que eu menos esperava e evitava: Me apaixonei! Foi tão repentino, de uma maneira tão óbvia, mas tão óbvia, que passou completamente despercebido por mim, e quando me dei conta, já estava suspirando pelos cantos. Não foi uma experiência boa desta vez. Mas enfim, já passou, estou bem e não estou melancólico como nos últimos posts.

Voltei de vez para a academia e a praticar esportes! Como senti falta de tudo isso!
Já havia me esquecido do quão gostoso é ficar todo suado, quebrado, com o corpo todo dolorido, tomar um bom banho gelado e dormir bem! Estou me sentindo muito mais disposto para tudo, e o melhor: Estou voltando a ter minha antiga forma e vigor físico, na verdade, estou na minha melhor forma física de toda minha vida! A academia tem me feito muito bem e feito muito bem para meu ego.

Mas agora vocês devem estar se perguntando: 'Já que tive bastante tempo, desde janeiro, porque não voltei a blogar de vez?'
Bem, realmente tive bastante tempo de sobra nos últimos meses, mas foram meses muito conturbados.
Essa paixão repentina que tive, me desmotivou de muitas formas. Certas coisas são muito difíceis de superar, ainda mais quando você não espera certas coisas de pessoas que você confia.
No carnaval, fiquei enclausurado em meu quarto. Não estava disposto ou afim de baderna, baladas e etc. Descansei o tempo todo e me joguei na fossa! Enfim, acabou a novela!
Outro motivo de minha ausência aqui, foi minha briga com a empresa sobre os valores de minha homologação. Acreditem, sai da empresa em Janeiro, porém terminei toda esta novela, semana passada! Foram dias e dias de telefonemas, idas a São Paulo, contatos com advogado. Granças a Deus, não foi preciso nenhuma intervenção do mesmo, e acabou tudo bem.
Esta semana, sinto que minha vida começou a entrar nos eixos, tudo está fluindo conforme planejei!

Bem, agora sim posso voltar a blogar com toda a tranquilidade possível e voltar de vez, certo? Errado!
Como muitos aqui sabem, agora que sai da última empresa, posso dar segmento aos meus planos de viajar e voltar a estudar.
É com muita alegria e muita felicidade, confirmo aqui pra vocês que no dia 18/Abril, estarei embarcando para Dublin - Irlanda, onde começarei uma nova fase de minha vida. Estudando, trabalhando e conhecendo novas culturas.
Aqui no Brasil, ainda tenho de terminar com todas as minhas pendências e esperar o dia da viagem. A princípio, ficarei lá por 1 ano, mas quem sabe não fico mais (ou menos)? Só o tempo dirá!

Bem, passei por aqui hoje somente para dar notícias minhas.
Eu espero que todos estejam muito bem!
Gostaria de agradecer muito a todos os leitores com quem mantive contato por todo este tempo que andei 'sumido' e que me ajudaram a espairar a cabeça quando eu não estava bem!
Obrigado a todos pelos emails, de coração!

Um grande abraço a todos, muitas saudades,
Eduardo Paiva.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Uma carta de desabafo...

É estranho como algumas expressões e ditos populares sempre fazem (muito) algum sentido.
Depois de passar por uma das melhores viagens da minha vida, ao lado de pessoas extremamente especiais, rindo muito, fantasmas que eu sempre me afastei, me pegam de surpresa.
Como um coração pode ser extremamente tolo? O cérebro diz: "-Não seja um imbecil (novamente), tu já passou por isso antes!". Mas não adianta! Sempre fui uma pessoa que leva a vida seguindo a direção do coração! Brigo, luto, tapo o sol com a peneira, mas não adianta. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come!

É estranho como esse pequeno músculo que bombeia sangue para todo o nosso corpo, nos faz literalmente ficar cegos! As vezes me acho um tolo, por confiar demais nos meus sentimentos mais impulsivos.
Será que as pessoas não tem a noção do quanto elas podem machucar seu semelhante? Será que elas não param pra pensar bem nas coisas que dizem, nas coisas que nos fazem acreditar pra chegar em um certo ponto, simplesmente ignorar tudo o que foi dito? Burro, imbecil, idiota, trouxa!

"Não! Eu não posso estar enganado! Corra atrás, faça valer a pena! A vida é muito curta para deixar as dúvidas atormentarem seus pensamentos!"

A pouco mais de 25 minutos, meu coração foi literalmente despedaçado por mensagens virtuais vazias, sem contexto e nexo. Mentiras? Já não me importa mais! "Mas é claro que importa!"
Chorar pra que? Olhe como estou sorrindo! ...mas minh'alma suplica por compaixão e piedade.

Já não consigo escrever mais, o papel esta todo molhado...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Out of Order...

Galera, to passando por um momento crítico/decisivo por aqui!
Preciso resolver minha vida de vez, preciso mudar muita coisa... não estou conseguindo pensar direito, não consigo me planejar direito, não consigo pensar com a cabeça!
Não consigo ao menos entrar para responder mensagens, blogar e visitar outros blogs...
Sinto muito, mas preciso me livrar da internet por um tempo...

Volto assim que resolver tudo! Obrigado por tudo galera, vocês todos são incríveis!
Grande abraço,
Eduardo Paiva.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Réveillon no RJ - Parte II

O tempo não ajudou, e pelos dias que se seguiam, o RJ amanhecia nublado, com uma garoa fina durante todo o dia, uma hora e outra parava, mas ficava aquele tempo sem o sol. Queríamos muito ir a praia, mas com um tempo assim, era impossível e como estávamos nos divertindo daquela forma, não nos importamos com mais nada, apenas aproveitávamos a presença um do outro para rir o dia todo!
Chegamos a um consenso sobre toda a situação em que nos encontrávamos; Não importava sol ou chuva, tempo aberto ou nublado, com ou sem bebida, a diversão era gradativa e a cada dia que passava, estávamos mais bobos, ríamos mais e de qualquer situação! Os gringos gostavam de ficar perto de nós, mesmo não nos entendendo muito bem, mas riam juntos e não perdiam nossas bobeiras.

Bem, resolvi mandar uma mensagem a um amigo meu que mora no RJ.
Nos conhecemos há uns 2 anos atrás pela internet e nunca tínhamos nos visto pessoalmente. Todas as vezes que eu fui ao RJ, não tivemos oportunidade de nos encontrarmos, por causa de seu trabalho ou porque eu estava em algum lugar muito longe (visto que ele somente trabalha no centro do RJ e mora em outra cidade do Rio). Havíamos combinado de finalmente nos encontrarmos para bater um papo pessoalmente, mas havia acontecido um imprevisto e ele acabou viajando para Florianópolis. Sinceramente, acabei ficando um pouco chateado, pois queria muito conhece-lo. Trocamos algumas mensagens, ele me ligou e conversamos um pouco outro dia e acabou que ele resolveu ficar em Florianópolis para a virada do ano.
Ele me pediu imensas desculpas por furar nosso encontro, me disse que era melhor ele ficar por lá por conta de seus familiares. Enfim, desejei uma boa passagem de ano a ele e deixei para lá.

Confesso que fiquei bem chateado com a situação, pois nos últimos meses, conversamos demais, vimos muita coisa em comum e de um jeito bem sutil, acabei percebendo que estava começando a gostar dele. Nestas nossas conversas, ele já havia me confessado que gostava muito de mim e que tinha um pouco de receio de nos encontrarmos porque tinha medo de não aguentar uma situação entre nós.
Ele é atencioso demais, se preocupa muito comigo e sempre me envia mensagens pelo celular, foi assim que percebi uma pequena ponta de sentimentos por ele. Apenas tentei dispersar estes pensamentos e evitar qualquer tipo de situação com ele. Talvez esta sua viagem para Floripa, não tenha sido tão ruim, visto que mais coisas poderiam rolar, o que estava fora de cogitação para mim. Como já havia dito anteriormente, não quero nenhum tipo de relação mais profunda.

No dia da virada do ano, estávamos todos muito ansiosos para a queima de fogos na praia, para o show do David Guetta e para tudo mais o que pudesse acontecer... estávamos preparados para tudo!
Então durante a tarde, combinamos de não bebermos muito para não corrermos o risco de nos perdermos por lá, afinal, estaríamos no meio de 2 milhões de pessoas.
Tomamos um banho, nos vestimos e as 8 da noite, o hostel nos ofereceu um transfer gratuito. Fomos todos de táxi para Copacabana e como fomos em 3 carros separados, combinamos de nos encontrarmos em frente a estátua da princesa Isabel, na praia. Assim como todos os outros dias, o tempo não ajudou e quando chegamos a Copacabana, começou um sereno forte! Parecia que a chuva não nos daria uma trégua nesta noite...

domingo, 15 de janeiro de 2012

Réveillon no RJ - Parte I

Eu já estava completamente ansioso pela chegada da última semana do ano, muito antes da chegada de Dezembro, porque sabia que no dia 28, eu estaria a caminho do Rio de Janeiro, relaxar por alguns dias com meus amigos. Quando cheguei para trabalhar no dia 27/12, já havia comunicado a todos os colaboradores que eu estaria indo viajar e que portanto, nos últimos dias da semana, eu não estaria presente. Passei todas as instruções a todos e comuniquei que talvez eu não retornaria mais ao trabalho, pois chegaram aos meus ouvidos através de uma pessoa de confiança, que meu superior direto, conseguiu minha tão sonhada demissão!
Fim de expediente, me despedi de todos e voltei para casa, a fim de terminar minha mala e seguir em direção ao RJ. Comprei mais algumas peças de roupas, cortei meu cabelo, comprei uma garrafa de tequila e fui me despedir de alguns amigos, pois somente os veria, depois da virada do ano.

Eu não havia dormido ainda, entrei dentro do ônibus ás 12:25 e seguiria em direção ao RJ, uma viagem que duraria cerca de 5 horas no máximo, então precisava dormir, pois ainda não havia pregado os olhos. Tentei de todas as formas, mas foi em vão, não conseguia dormir, no máximo, tirei um cochilo de 40 minutos, mas o restante da viagem, permaneci acordado. Ainda mais, que do meu lado, sentou um Deus Grego!
Rosto másculo, com barba por fazer, uma voz grossa, usava uma camiseta regata branca que torneava seus músculos do peito e deixava a mostra seus braços de academia, usava uma bermuda curta, destas de jogar bola, e tinha um par de coxas que me fizeram delirar todo o trajeto até o RJ.
Só não puxei assunto durante a viagem, porque ele durmiu o tempo todo, mas não me importei, pois ele ficava rossando suas pernas na minha e quase deitava no meu ombro, seus braços quase se entrelaçavam aos meus e por algumas vezes, ele colocava sua mão sob a minha. (kkkkkk, vontade de cantar não me faltou, mas como ele tinha uma aliança de casado no dedo, resolvi ficar na minha)

Bem, cheguei a rodoviária do RJ e fui em busca de um taxi que me deixasse no Hostel, onde meus amigos estavam me esperando. Por um preço nada camarada, o taxista me deixou na porta do Rio Hostel, em Santa Tereza, a 5 minutos caminhando dos Arcos da Lapa. Na porta, já encontrei com um dos meus amigos que estava descendo até a Lapa, para comer algo e disse que no quarto, outro amigo nosso me esperava para podermos todos beber em algum lugar. Cheguei na recepção e fui muito bem atendido, e fui em direção ao quarto. (Normalmente em hostels ou backpakers, os quartos são compartilhados com outras pessoas, e neste meu caso, estavamos em um quarto com 5 beliches. Éramos em 4 amigos e 6 franceses)
Arrumei minha cama, guardei minha mala em um armário privativo e fomos de encontro com o restante do pessoal em uma bar na esquina da Lapa com Santa Tereza.

Ali, estavamos em 8 pessoas e eu conhecia somente 2 deles. Fui apresentado a todos, que me receberam muito bem e foram extremamente simpáticos. Chegamos ali para beber, por volta das 19horas e saimos de lá ás 22horas. No caminho de volta, passamos e compramos mais algumas bebidas e ficamos todos no hostel bebendo na área da piscina e conhecendo os gringos que por lá estavam, deu até para dar uma treinada no inglês. Neste dia, lá haviam noruegueses, franceses e alemães.
Os gringos foram dormir por volta das 3 da madrugada e nós continuamos lá, até as 6 da manhã, contando histórias engraçadas, rindo demais e fazendo palhaçada, com uma vista maravilhosa da varanda do hostel.
E assim, terminou nosso primeiro dia, onde conheci muita gente bacana, rimos demais e bebemos muito.

Bem, sobre esta viagem ao RJ, terei de contar em várias partes, pois aconteceram muitas coisas por lá (e ainda continuam a acontecer! rs).
Grande abraço a todos,
Eduardo Paiva. (VOLTEI E DE VEZ!)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Pré-postagem

Antes de qualquer outra coisa, gostaria MUITO de deixar aqui uns versos que escrevi, no qual me descreve muito bem com situações decorrentes...

O Outro Lado do Recomeço

No passado, não agüentei e fiz um pacto
Na qual, com minhas lágrimas foi selado
Olhos marejados, sorriso amarelado
Minh’alma clamava no vácuo

Sorrindo, hoje, sinto o peso do estado
O tempo que carregou minhas súplicas
Hoje, cobra pelo serviço prestado
Volto eu, em agonia por vias públicas

É o fim! Não! Cansei!
Comecei o dia sorrindo (amarelo)
Minh’alma suspira, o tempo goza
Marejei...